O que é e quais são os sintomas da gripe H1N1 ou Influenza A

Como se transmite, como se diagnostica e se trata a gripe H1N1

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem acontecido um aumento nos casos da gripe H1N1, também conhecida como Influenza A, principalmente em países como Estados Unidos, Canadá, México, Brasil e outros da América do Sul. Não se trata de uma epidemia, mas é bom lembrar que essa gripe é transmitida com muita facilidade e é necessário conhecer o que a causa e os seus sintomas. 

Causas e sintomas da gripe Influenza A

o-que-é-e-quais-são-os-sintomas-h1n1 A

A Influenza A ou gripe H1N1 é provocada pelo vírus H1N1 da Influenza do tipo A. Ela se caracteriza por apresentar sintomas fortes como: 

- Febre alta e repentina. 

- Calafrios e tremores. 

- Dor de cabeça. 

- Dor nos músculos e nas articulações. 

- Irritação nos olhos. 

- Cansaço e fadiga. 

- Falta de apetite e em alguns casos vômitos e diarréia. 

Trata-se de uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna, que também provoca sintomas respiratórios como tosse seca, dor de garganta e coriza. Em geral a infecção dura uma semana.

O período de incubação dessa doença varia de 3 a 5 dias. A transmissão pode acontecer antes que apareçam os sintomas. O contágio se dá pelo contato direto com animais, objetos contaminados ou de pessoa para pessoa, seja por via aérea ou pela saliva ou secreções das vias respiratórias. 

Como se diagnostica e se trata a gripe H1N1

Para diagnosticar a Influenza A existem exames médicos que revelam se a pessoa foi infectada por algum vírus da gripe. No caso do H1N1, como se trata de uma cepa nova, o resultado pode demorar até duas semanas, ainda que em alguns países que desenvolveram técnicas de identificação do vírus pode ser mais rápido.

É importante um diagnóstico rápido, já que algumas pessoas como crianças, gestantes e os idosos possuem um risco maior de complicações na saúde devido ao vírus Influenza A. A melhor maneira de evitá-lo é a vacinação anual. Existem países que devido ao aumento da doença está tendo que adiantar o calendário de vacinação. 

Os médicos advertem que é importante evitar a automedicação. O uso de medicamentos sem orientação médica pode facilitar o aparecimento de cepas resistentes à medicação. Em geral são administrados o Oseltamivir (Tamiflu) ou Zanamivir (Relenza) como medicamentos eficazes contra o vírus H1N1, mas só com prescrição médica. Bem administrados nas primeiras 48 horas do aparecimento dos sintomas, eles são muito eficazes. 

Fonte consultada:

- Organização Mundial da Saúde (OMS) 

- Centro para o controle e prevenção de doenças dos Estados Unidos

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com