A alimentação complementar para crianças com Síndrome de Down

Dificuldades na alimentação de crianças com deficiência

Vilma Medina

Vilma Medina

A partir dos seis meses de idade, o bebê com Síndrome de Down já está preparado para iniciar a alimentação complementar, por isso já podemos começar a introduzir frutas e verduras na sua dieta. Muitos lactentes não terão nenhum problema nessa nova etapa, já que têm um maior desenvolvimento motor oral. 

No entanto, alguns pais sentem medo de introduzir alimentos sólidos, já que acreditam que a criança poderia se engasgar. A gente te conta quais dificuldades relacionadas com a comida que os pais de crianças com Síndrome de Down podem encontrar e como solucioná-las. 

Problemas na alimentação de crianças com Síndrome de Down

a-alimentação-complementar-crianças-síndrome-down A 

- Existem crianças que tendem a cuspir nos alimentos, já que encontram dificuldade na hora de levá-los à parte lateral da boca para mastigá-los. 

- Outras crianças, no momento da deglutição não levantam a língua, mas a movimentam para frente e para baixo, esmagando o alimento contra os dentes superiores. 

- Outros problemas associados às alterações buco-dentais como a má oclusão dos dentes, bruxismo ou doenças periodontais podem complicar a mastigação da criança. 

Como introduzir a alimentação complementar em crianças com Síndrome de Down 

- Começar aos 6 meses com uma dieta semi-sólida. Para eles é importante colocar a criança numa boa postura: posição vertical e estimulá-la para que busque a colher e abra a boca e nunca fazê-lo à força. 

- Os alimentos devem ser bem cozidos e no caso das frutas, bem lavadas, maduras e macias.

- Dar a comida em uma colherzinha pequena, introduzindo pequenas quantidades na parte central da boca e repetir quando a língua estiver dentro da mesma. Pressionar com a colher a língua para baixo. 

- Se a criança não fecha a boca para deglutir, ajude-a com a mão a manter a boca fechada. 

- É conveniente que a criança possa nos ver e a gente deve se situar bem em frente a ela e estabelecer contato visual. 

- Para ajudá-la a aprender a mastigar, você pode ir aumentando pouco a pouco a consistência dos alimentos, fazendo os purês menos líquidos. Você também pode oferecer alimentos sólidos que se desfaçam facilmente na boca. 

A constância e a paciência ajudarão com que o bebê e a criança com Síndrome de Down possam adquirir o ato de comer a curto ou médio prazo. 

- Fonte: Down España

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

O exame da amniocentese deu positivo. E agora?

O exame da amniocentese deu positivo. E agora?

Estou convencida de que existem decisões na vida que não dependem nem devem depender de consultas nem de opiniões alheias. Existem decisões na vida que só depende da pessoa que está passando pela situação. Esse é o caso de uma mãe que decide se submeter ao diagnóstico da amniocentese.

Crianças com deficiência ou com capacidades diferentes?

Crianças com deficiência ou com capacidades diferentes?

A linguagem vem se humanizando com os anos. Há algum tempo crianças com Síndrome de Down eram chamados de mongóis, mas, graças a Deus isso parece impensável utilizar termos como esses. Crianças estúpidas, atrasadas, idiotas... São expressões que infelizmente passaram pela história.

A sensibilidade das crianças com Síndrome de Down

A sensibilidade das crianças com Síndrome de Down

As crianças com Síndrome de Down crescem conhecendo suas limitações. Seus pais e educadores lhes preparam para que se aceitem como são, mas também para lutar para encontrar o seu lugar na sociedade e alcançar a dignidade que merecem.

Menos crianças com Síndrome de Down

Menos crianças com Síndrome de Down

Todo dia 21 de março se comemora o Dia Mundial da Síndrome de Down. A trissomia 21 e a data escolhida para coincidir com o Dia Mundial da Síndrome de Down não são uma mera coincidência. O número 3 equivale ao mês de março, enquanto que o 21 é o dia escolhido para lembrar a da alteração genética que ocasiona o transtorno cromossômico mais frequente de todos, a Síndrome de Down.

Aleitamento materno em bebês com Síndrome de Down

Aleitamento materno em bebês com Síndrome de Down

O leite materno é o melhor alimento para os bebês. Todos os especialistas reconhecem seus benefícios que contribuem para a mamãe e ao bebê. No caso de crianças com Síndrome de Down, o aleitamento pode apresentar alguns problemas adicionais devido ao esforço que o bebê tem que realizar para sugar o leite, um esforço maior que ele realiza com a mamadeira.

0 comentarios