A criança com Síndrome de Down

Características de crianças com Síndrome de Down

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A Síndrome de Down é um dos defeitos genéticos de nascimento mais comuns. Afeta todas as raças e ainda não existe cura e tão pouco é possível preveni-la. 

A Síndrome de Down é uma anomalia nos cromossomos, que ocorre em 1,3 de cada 1.000 nascimentos. Por motivos ainda desconhecidos, um erro no desenvolvimento do óvulo fecundado leva que se formem 47 cromossomos no lugar dos 46 que se desenvolvem normalmente. O material genético em excesso altera levemente o desenvolvimento regular do corpo e do cérebro do bebê. 

Características das crianças com Síndrome de Down 

As crianças com Síndrome de Down apresentam uma grande variedade de personalidades, estilos de aprendizado, níveis de inteligência, aparências, senso de humor. Por outro lado, a Síndrome de Down confere às crianças uma aparência física particular que se caracteriza por olhos amendoados e orelhas pequenas e ligeiramente dobradas na parte superior. Podem ter a boca e os lábios podem ser pequenos, o que faz com que pareça que a língua é grande. O nariz também pode ser pequeno e apresentar baixo relevo entre os olhos. Alguns bebês com Síndrome de Down têm o pescoço curto e as mãos pequenas com dedos curtos. Em geral as crianças com Síndrome de Down são muito carinhosas e com uma inteligência emocional excepcional. 

Problemas de saúde em crianças com Síndrome de Down 

Entre 30 e 50% dos bebês com Síndrome de Down têm problemas cardíacos. Algumas dessas cardiopatias congênitas são de pouca importância e podem ser tratadas com medicamentos, mas outras que requerem cirurgia. Todos os bebês com Síndrome de Down devem ser examinados por um cardiologista infantil, um médico especializado nas doenças cardíacas infantis, e serem submetidos a um ecocardiograma durante os dois primeiros meses de vida para permitir o tratamento de qualquer problema cardíaco que possam ter. Entre 10 e 12 por cento dos bebês com Síndrome de Down nascem com más-formações intestinais que requerem correções cirúrgicas. 

Mais de 50 por cento das crianças com Síndrome de Down nascem com alguma deficiência visual ou auditiva. Entre os problemas visuais mais comuns se encontra o estrabismo, a miopia, a hipermetropia e as cataratas. A maioria dos casos pode ser tratada com óculos, com cirurgia ou mediante outros métodos. Deve-se consultar um oftalmologista pediátrico durante o primeiro ano da criança. As crianças com Síndrome de Down podem ter deficiências auditivas por causa da presença de líquido no ouvido médio, de um problema nervoso ou de ambas as coisas. Todas as crianças com Síndrome de Down devem ser submetidas a exames de vista e audição de forma regular para permitir o tratamento e evitar problemas no desenvolvimento da fala e de outras habilidades. As crianças com Síndrome de Down têm maiores probabilidades de sofrerem problemas da tireoide e leucemia. Também tendem a se resfriar muito e contrair bronquite e pneumonia. As crianças com Síndrome de Down devem receber cuidados médicos regulares, incluindo as vacinas da infância. 

Fontes consultadas:

- Fundación Catalana Síndrome de Down

- Fundación Síndrome de Down-Valencia

- Associações Espanholas

- Associações Internacionais