Cuidados pré-natais para mães com idade avançada

Os cuidados pré-natais são muito importantes para a grávida com mais de 35 anos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É necessário planejar a gravidez visitando o médico antes de engravidar. Essa consulta prévia permite comprovar o estado de saúde da mulher e solucionar as dúvidas do casal. É o momento ideal também para tirar as dúvidas sobre os possíveis problemas crônicos de saúde, como a diabete e hipertensão, que a mulher pode apresentar. Esse primeiro contato é aconselhável para reduzir os riscos relacionados a essas condições, e criar um ambiente propício para uma gravidez saudável. 

Cuidados pré-natais em mulheres com mais de 35 anos

Cuidados e riscos de uma gravidez tardía

Os cuidados pré-natais são particularmente importantes para as mulheres com mais de 35 anos de idade. Nessa idade as mulheres têm mais probabilidade de sofrer de pressão alta e de diabete durante a gravidez, e tem o direito de realizar o exame para a Síndrome de Down. Para reduzir os riscos durante a gravidez, a alimentação é um fator importante.

Conselhos médicos

- Comer alimentos saudáveis e nutritivos, inclusive os que contêm ácido fólico, como o suco de laranja, legumes, frutos secos, cereais e verduras de folhas verdes. 

- Ganhar uma quantidade de peso saudável. 

- Praticar exercícios moderados

- Não beber álcool nem fumar e não consumir drogas. 

- Não tomar nenhum medicamento, mesmo os naturais, sem antes consultar seu médico. 

Riscos para o bebê

Com o avanço da idade da mulher, aumenta o risco de dar a luz a um bebê com transtornos cromossômicos. O mais comum e conhecido é a Síndrome de Down, uma mescla de atraso mental e anomalias físicas, causada pela presença de um cromossomo 21 a mais.

Normalmente nascemos com 23 pares de cromossomos. Para que se tenha uma ideia, uma mulher de 25 anos tem uma probabilidade de 1 em 1.250 casos de te um bebê com Síndrome de Down; aos 30 anos, 1 em 1.000; aos 35 anos, 1 em 400; aos 40, 1 em 100 e aos 45, 1 em 30. 

Fertilidade e a idade da mulher

Quando uma mulher tem mais de 35 anos e não fica grávida depois de tentar por seis meses por via natural, deve consultar seu médico. Em muitos casos, a infertilidade pode ser tratada. Deve-se levar em conta que a partir dos 28 anos de idade a fertilidade vai diminuindo pouco a pouco. Nos tratamentos de fecundação assistida, entre as mulheres de 30 anos pode haver um êxito de 6 em cada 10 implantes. Mas se são maiores de 40 anos, a porcentagem baixa para 4 em cada 10 implantes. 

A hora do parto

Quando a mulher com idade mais avançada está bem preparada, dizem os ginecologistas, que não há porque ter problemas de dilatação nem de expulsão do bebê na hora do parto. Para isso, é necessário que se cuide também durante a gravidez, mantendo bons hábitos de preparação física. Os médicos também afirmam que quanto mais idade a mulher tenha, mais possibilidade terá de sofrer alguma doença associada com a diabete gestacional, a hipertensão ou a obesidade. Também é mais provável que se tenha que realizar um parto cesáreo.

Riscos de aborto

Segundo pesquisas, a taxa de abortos em mulheres mais velhas é consideravelmente maior que nas mulheres mais jovens. Um estudo realizado na Dinamarca notou-se que cerca de 9% das gravidezes de mulheres entre 20 e 24 anos resultavam em aborto espontâneo. Essa porcentagem aumentava aproximadamente 25% entre as mulheres entre 35 e 39 anos e mais de 50% em mulheres com idade a partir dos 42 anos.