6 coisas que o papai não deve fazer na gravidez

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os pais têm um nível de implicação muito superior ao que tinham a alguns anos quanto à questão de educação e criação dos filhos. Também vivem a gravidez desde as primeiras etapas com desejos e sentem a necessidade de estarem inteirados de tudo o que acontece ao longo da gestação. No entanto, por mais que queiram conhecer o que acontece semana a semana, nunca poderão sentir o que sente uma gestante. É por isso que podem cometer alguns erros

6 erros dos pais na gestação

6-coisas-que-o-papai-não-deve-fazer-gravidez A

Ninguém é perfeito e é normal cometer erros, mas quando você está grávida existem situações que te enlouquecem, o que em outro momento, não aconteceria. No meu caso, eu me chateava muito cada vez que meu esposo esquecia a data de uma revisão, inclusive quando eu havia lembrado várias vezes. Se você é um papai de primeira viagem e está vivendo a gravidez com ilusões e expectativas, te convém saber quais são os erros que você pode cometer e o que nunca você deveria dizer à sua companheira para evitar um conflito: 

1 – Não acompanhar ao ginecologista: evitar as consultas médicas fará que não conheça de primeira mão toda a informação que será dada nas mesmas e tão pouco poderá tirar as dúvidas que tiver, e quando se realizar a ecografia, você perderá as imagens do seu bebê no útero materno. 

2 – Não escutar a sua companheira: as gestantes podem estar muito pesadas e cansadas, uma vez que levar um bebê dentro da barriga por 9 meses dá a elas todo o direito de se queixarem ou espernearem quando sentem dores nas costas ou não conseguem conciliar bem o sono. Ter um ombro aonde chorar os incômodos da gravidez é fundamental. 

3 – Não participar da vida sadia: durante a gravidez, a mulher deve levar uma dieta saudável e abandonar todo o hábito prejudicial como o cigarro e o álcool. Se você não se solidarizar com ela e continuar fumando na sua presença ou comer compulsivamente comidas impróprias não vai ajudar em nada. 

4 – Ser o protagonista: chamar a atenção para si em reuniões familiares ou com amigos não é correto. O pai também é importante, mas o peso realmente importante é a sua mulher que está levando. 

5 – Ser intransigente com suas alterações emocionais: discutir em algum determinado momento é normal, mas é necessário compreender que o ‘baile hormonal’ da gestante é grande e muitas das suas alterações no humor, suas angústias ou suas dúvidas se traduzem em um estado emocional instável que o marido tem que compreender. 

6 – Não se importar em como se desenvolve a gravidez: as mulheres costumam comprar revistas, livros e buscam informações pela Internet. Ficar satisfeito pelas informações que ela passará para você e que não precisa conhecer nada mais do que ajudá-la no parto não te ajudará a se envolver no processo. 

Alba Caraballo
Editora de GuiaInfantil.com