O que pode acontecer com o seu bebê se você estiver grávida e beber álcool

Vilma Medina

Vilma Medina

Quase 50% das gestantes na Espanha bebem um pouco de álcool durante a gravidez. Segundo estudo realizado pela Socidrogalcohol (Sociedade Científica Espanhola de Estudos sobre o álcool e o alcoolismo e outras Toxicomanias), uma de cada cinco mulheres grávidas pode chegar a beber até cinco ou mais doses na ocasião. 

A Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), de acordo com estimativas, afeta cerca de 30 mil crianças nascidas anualmente no Brasil.

Ainda que a maioria das mulheres conheça as graves consequências que beber álcool represente para o feto, quase metade das mulheres continua consumindo um pouco de álcool durante a gravidez. Os riscos que o bebê tenha morte prematura no ventre materno, apresente alguma má formação ou atraso mental, ou que nasça com baixo peso, devem ser considerados pela mulher na hora de levar um copo de álcool à boca. 

Riscos do álcool durante a gravidez

o-que-pode-acontecer-com-seu-bebê-álcool A 

Quando a mãe bebe, o etanol contido nas bebidas atravessa a barreira placentária, chegando a apresentar taxa de alcoolemia (álcool no sangue) igual no bebê que na mãe. Ou seja, o álcool que uma mãe pode ingerir chegará ao feto com a mesma intensidade. Os danos podem ser graves não somente ao feto, mas também à própria mãe. 

Observa-se que o álcool é um dos responsáveis, por exemplo, do aborto espontâneo. A Síndrome do alcoolismo fetal (SAF), que hoje afeta um a dois de cada mil bebês nascidos vivos, é a causa mais frequente de deficiência mental e intelectual nas crianças. Também é responsável pelas más formações, alterações dos traços no rosto e atraso mental. Em muitos casos, os danos são irreversíveis. 

A criança poderá ter graves dificuldades de adaptação e um importante déficit em sua autonomia, convertendo-se em pessoas fáceis de persuadir e manipular. Pode ainda sofrer transtornos psiquiátricos, entre os quais se destaca o consumo de álcool na adolescência e o transtorno por déficit de atenção com hiperatividade. O consumo de álcool é mais prejudicial durante as primeiras semanas de gestação. 

Muitas mulheres bebem por não saberem que estão grávidas, por isso os médicos aconselham que as mulheres em idade fértil que não utilizam métodos contraceptivos seguros, devam evitar a bebida alcoólica. Não beber é a única forma de prevenção nesses casos.  

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com

Síndrome do Alcoolismo Fetal

Síndrome do Alcoolismo Fetal

A gestante não pode beber uma só gota de álcool durante a gravidez. A ingestão de álcool durante os meses de gravidez representa um grande risco para a saúde do bebê que vai nascer. Ele poderá sofrer as consequências dos maus hábitos ou da falta de cuidado de sua mãe, para o resto de sua vida.

Os prejuízos do álcool durante a gravidez

Os prejuízos do álcool durante a gravidez

A gestante não deve consumir nem uma gota de álcool. Guiainfantil Brasil revela o por quê não se pode fumar durante os meses de gestação, e as graves consequências disso para o bebê.

Sintomas do diabetes gestacional

Sintomas do diabetes gestacional

O diabetes gestacional acontece quando a glicemia se apresenta alta durante a gravidez, aumentando os níveis de açúcar no sangue. É uma doença bastante comum nas gestantes, já que quase 10% são afetadas.

Os riscos da maternidade tardia

Os riscos da maternidade tardia

Hoje em dia, as mulheres têm tendência a postergar a maternidade, não é porque o seu relógio tenha se atrasado, mas sim porque elas têm outras prioridades como a vida profissional, ter uma casa, um trabalho estável, um companheiro...

0 comentarios