Os riscos da maternidade tardia

A gravidez a partir dos 35 anos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Hoje em dia, as mulheres têm tendência a postergar a maternidade, não é porque o seu relógio tenha se atrasado, mas sim porque elas têm outras prioridades como a vida profissional, ter uma casa, um trabalho estável, um companheiro... 

No entanto, sabemos que não é a mesma coisa ser mãe aos 25 do que aos 40 anos. Cada idade tem seus pontos positivos e negativos. Desde o ponto de vista da saúde, a partir dos 35 anos se considera uma gravidez tardia, quando aumentam os riscos de sofrer algumas doenças como o diabetes gestacional, pré-eclampsia... Vamos analisar os prós e os contras de cada faixa de idade. 

Mãe a partir dos 30 anos

os-riscos-da-maternidade-tardia A 

Vantagens: Atualmente, as mulheres com mais de 30 anos de idade que têm postergado sua maternidade, geralmente se encontram em um estado de saúde excelente, e podem ter gravidezes saudáveis. 

Desvantagens: A partir dos 30 anos ocorre uma redução gradual na fertilidade, de maneira que o casal pode demorar um pouco mais para conceber, ou enfrentar alguns problemas de infertilidade. Esta é, precisamente, a faixa de idade em que as mulheres mais se submetem a tratamentos de fertilidade. 

Mãe a partir dos 35 anos

Vantagens: É provável que as mulheres de 35 anos tenham um estilo de vida mais sadio, compreendam melhor as necessidades do seu organismo e se cuidem mais no que se refere ao preparo físico e a nutrição. 

Existem estudos que assinalam que as mulheres nessa idade têm uma imagem mais positiva do seu corpo e que toleram com maior facilidade os sintomas típicos da gravidez, como a acidez estomacal ou a frequência urinária aumentada.

Bem estar fetal: todos os estudos coincidem que para o bebê o resultado final é tão favorável quanto aos nascidos de mães jovens, segundo o demonstra as pontuações de Apgar, que avaliam o bem estar do bebê imediatamente depois do parto, e os demais exames e revisões médicas que os bebês fazem durante a primeira infância. 

Desvantagens: Após os 35 anos, a fertilidade decresce drasticamente (em aproximadamente 50% das possibilidades de uma de 20 anos). Não os se vê afetada a quantidade de óvulos, mas também sua qualidade. Existe uma maior probabilidade de ter fetos com alterações cromossômicas

Riscos no parto: As mulheres de 35 anos em diante têm uma maior probabilidade de ter um parto induzido, um diagnóstico de sofrimento fetal, anestesia peridural, ou um parto com fórceps ou ventosas, e praticamente todos os estudos estão de acordo em que a taxa de partos por cesárea cresce com a idade. No entanto, este aumento não parece estar relacionado com nenhum problema específico.

Mãe a partir dos 40 anos

Vantagens: Podem ser mais cuidadosas com a dieta, e com o preparo físico. 

Desvantagens: A possibilidade de ficar grávida se reduz muito (aproximadamente em 10% das possibilidades de uma mulher de 20 anos). Aumenta consideravelmente a probabilidade de ter filhos com alterações cromossômicas (Síndrome de Down, de Edwards...).

Quanto maior a idade, mais probabilidades de ter desenvolvido certas doenças como o diabetes, alguns problemas relacionados com a hipertensão ou fibromas uterinos (miomas), que podem afetar a gravidez e o nascimento do bebê. Os estudos sobre o efeito da idade materna na gravidez e o nascimento também indicam um aumento na frequência de complicações durante a gravidez, como a hipertensão, diabetes gestacional, hemorragias durante o terceiro trimestre e placenta prévia. 

Riscos para o bebê: Inexplicavelmente, um maior número de bebês morre antes de nascer neste grupo de mulheres (1 em cada 440 gravidezes de mulheres de 35 anos ou mais, contra 1 em cada 1.000 gravidezes de mulheres mais jovens). Por este motivo, os médicos podem ser mais cuidadosos com as mães grávidas que têm mais de 35 anos durante as últimas semanas de gestação. 

Sara Cañamero de León

Matrona