Como se nasce um pai

As experiencias de um pai sobre do processo da gravidez ao nascimento do filho

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Onde quer que vá, vejo pais que preparam a mamadeira dos seus filhos, que não têm dificuldades em trocar suas fraldas, que brincam, abraçam e enchem de beijos aos seus pequenos. Eles levam seu filho ao pediatra, dão banho e alimentam... Um papai que equipara suas tarefas às das mamães... Enfim uma paternidade com atribuições afetivas muito maiores que antigamente. Os papais de hoje são geniais!

Quando nasce um pai

O nascimento de um pai

O cuidado dos filhos e o estabelecimento dos laços afetivos já não são uma tarefa exclusiva das mamães. Os pais têm muito que dizer nesse sentido, inclusive já têm alguns mais espertos do que suas esposas nessas responsabilidades. O que parece que ainda abordam com mais passividade, sobretudo porque a natureza não lhes dotou para isso, é a gravidez. Mesmo assim, muitos papais dizem a si mesmos que estão grávidos, pelo alto grau de envolvimento que têm na gravidez da sua mulher e na alegria de esperar um filho da mulher que escolheu como sua companheira. 

Já não se fala mais que o pai não opina em nada na gravidez, porque não carrega na sua barriga a criatura e nem passa pela 'aventura' de nove meses de exames, enjoos, incômodos, temores, barrigas e peitos sensíveis e crescentes. Existem alguns pais que não só opinam e participam da gravidez, como também escrevem sobre isso. Fabrice Florent, o autor do livro 'Meu Deus, vou ser papai!' trata com singular simplicidade e muitíssimo humor, a vivência diária da gravidez da sua esposa. 

Esse papai escreve as experiências vividas por ele como futuro papai: a confirmação da gravidez, a escolha do nome, o preparo do quartinho, troca de carro, mudanças no corpo da sua mulher, emoções e sensibilidade à flor da pele, preocupações, exames, ecografias, preparação para o parto e o desejado e único momento de conhecer ao seu filho, como ele diz: 'uma bofetada'.

Sem dúvida, um diário divertidíssimo tratado de maneira inteligente para cativar o leitor. Com certeza, se vocês estão grávidos, se sentirão muito identificados com esse relato, e se já tiverem passado por essa experiência, vocês recordarão quão maravilhosos e divertidos foram os episódios à espera amorosa de um filho e a vivência da gravidez como algo que aumenta a cumplicidade e a união do casal. Um livro muito divertido e fácil de ler! Eu recomendo!

Patro Gabaldón. Redatora