10 coisas que te fizeram chorar depois de ser mamãe

Vilma Medina

Vilma Medina

Os hormônios, o cansaço e a falta de sono, a sensibilidade à flor da pele... Os primeiros dias após o parto, as lágrimas nos inundam os olhos com mais frequência. Passamos 40 semanas de gravidez com as emoções a ponto de explodir a qualquer momento, seja de alegria, tristeza ou chateação. Mas, ao dar a luz, nada termina, e às vezes acontece tudo ao contrário, mas descobrimos chorando por coisas que não tem importância ou que em outros momentos nem nos incomodariam.  

As emoções das mamães de primeira viagem

10-coisas-que-te-fizeram-chorar-mãe A 

Ser mãe não é fácil. Não dormir nas primeiras semanas não é simples. Cuidar do bebê requer toda a sua atenção e cuidados, não é qualquer coisa, sobretudo se você for mamãe de primeira viagem. Eu recordo não ter chorado quase na minha gravidez, não chorei no parto, nem sequer após o mesmo. Nada parecia poder comigo. 

No entanto, na primeira semana só porque um macarrão que eu preparava grudou totalmente, todo meu equilíbrio foi por água a baixo. Eu não conseguia ser consolada. Eu me lembro que chorei por horas e horas (e não exagero!). Falando com outras mamães, elas me contaram experiências similares que as fizeram chorar nas primeiras semanas após o parto: 

1- A falta de sono: dormir umas poucas horas por dia acaba desequilibrando tudo. Não há corpo que resista e finalmente chorar é a maneira de desabafar diante do cansaço que nos invade. 

2- Uma cena terna: estamos com as emoções à flor da pele, que uma cena enternecedora vista na televisão, uma história triste que alguém nos conta ou um filme sentimental fazem aflorar as lágrimas. 

3- Uma discussão com o nosso parceiro: talvez o motivo seja tão pequeno, como a tampa do xampu destampado, mas essa pequena briga parece a coisa mais grave do mundo. 

4- O bebê tem febre: a primeira vez que nosso bebê apresentou uma temperatura superior a 38ºC, o desespero foi tanto que achava que não ia resistir. Se soubéssemos quantas vezes enfrentaríamos a febre nos nossos filhos!

5- Deixar ao beber para voltar ao trabalho: não conheço uma mãe que não tenha voltado ao trabalho em lágrimas e se sentindo a pior pessoa do mundo porque tinha que deixar o bebê aos cuidados de outra pessoa. 

6- O carrinho do bebê não se dobra: compramos o carrinho do bebê com toda a ilusão do mundo, e quando saímos de casa nas primeiras vezes enfrentamos ao temido momento de, ao querermos fechar o carrinho, este não se dobra com facilidade, seja pelo nosso nervosismo ou pela falta de prática. Que desespero! 

7- O cabelo começa a cair: durante os meses posteriores ao parto, o cabelo cai em mechas enormes. Ficar com ‘tuchos’ de cabelo na mão não é nada agradável. 

8- O corpo não volta à antiga forma: nossa forma demorará aproximadamente um ano para voltar ao ponto onde estava, necessita do seu tempo. Mas, essa barriguinha inchada que não volta ao seu lugar depois do parto, ninguém merece! 

9- Desconhecimento diante do aleitamento: ser mamãe de primeira viagem é enfrentar a mil situações novas, dentre elas, dar o peito, algo que surpreende a muitas mamães e que pode produzir bastante dor se não for bem praticado. 

10. Não ter tempo: o bebe consegue absorver todo o tempo de uma mamãe de primeira viagem, que parece não ter mãos suficientes para atender a todos os cuidados que o seu pequeno requer. Você se sente que está se afogando diariamente, até que explode em lágrimas! 

Este estado de pós-parto não implica que todo o tempo a gente vai passar chorando, nem que essa sensação de fragilidade dure eternamente, mas... Confesse! Quem não derramou muitas lágrimas por coisas que não tinham tanta importância? Afff... 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

Voltar ao trabalho após a licença maternidade

Voltar ao trabalho após a licença maternidade

Hoje retorno ao trabalho após minha licença maternidade. Faz cinco meses que tive o meu terceiro filho, um lindo bebê que felizmente cresce sadio e feliz. Qualquer mamãe que tenha passado por essa situação compreenderá como eu me sinto.

Os erros mais comuns das mães de primeira viagem

Os erros mais comuns das mães de primeira viagem

Voltar a casa com o meu bebê nos braços foi uma experiência maravilhosa, mas também muito dura e difícil, sobretudo durante a primeira semana. Acabava de enfrentar o parto e imediatamente tinha que estar pronta para cuidar do meu bebê. Ser mãe de primeira viagem não é fácil.

Primeira gravidez. Conselhos para mães de primeira viagem

Primeira gravidez. Conselhos para mães de primeira viagem

A gravidez é um momento único na vida de uma mulher. Trata-se de um período cheio de mudanças, novidades e fantasias, mas também de medos e inseguranças. São tantas coisas novas que rodeiam o dia a dia da grávida que as dúvidas surgem constantemente.

Os primeiros chutes do bebê no ventre da mamãe

Os primeiros chutes do bebê no ventre da mamãe

Os primeiros chutinhos do bebê na barriga da mãe, em algum momento entre as semanas 16 e 22 da gravidez possibilitarão aos pais imaginar o que está ocorrendo dentro da barriga. É a evidência que o seu filho está vivo e que tudo anda bem.

Ninguém nem nada substituem o pai e a mãe

Ninguém nem nada substituem o pai e a mãe

Quando o bebê chora no berço durante as noites, não é porque deseja chatear ou interromper o sono dos pais. Seja qual for o motivo, fome, medo ou doença, o bebê chora porque essa é a sua forma de reclamar a presença do seu papai ou mamãe. Esse vínculo é eterno.

0 comentarios