O que realmente acontece depois do parto

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Comecemos pelo positivo. Ter um bebê nos braços pela primeira vez é um dos momentos mais maravilhosos que uma mãe ou um pai podem vivenciar. Senti-lo, olhá-lo, cheirá-lo, acariciá-lo... É uma experiência única que faz com que o tempo se detenha e tudo o que tenha ocorrido antes: as contrações, o nervosismo ou a dor são esquecidos como uma mágica. 

No entanto, existe outra realidade que pode acontecer poucos dias depois do bebê nascer e que pode ser devastadora para muitas mães. Isso é o que acontece alguns dias depois de dar a luz. 

O que ninguém te conta depois do parto

o-que-realmente-acontece-depois-parto A

Os primeiros dias após o parto podem ser tão extenuantes que inclusive você pode chegar a pensar que você é a pior mãe do mundo e que não pode lidar com tanta coisa, tais como: 

- Você está sentindo dores, não importa se o parto tenha sido normal ou cesárea. Os pontos, os lóquios e os outros incômodos após o parto podem ser complicados, pois você não está em forma para atender ao bebê. 

- Os bebês realizam mamadas constantes, o aleitamento a demanda implica numa exigência muito grande, e para uma mamãe de primeira viagem é assustador, já que parece que tudo o que você consegue fazer é ter o bebê no peito. Além disso, as milhares de dúvidas que surgem sobre se está tomando leite suficiente, se você está ou não fazendo as coisas bem e inclusive a dor que você está sentindo possa tornar a amamentação num momento temeroso e não desejado. Isso faz com que muitas mães abandonem  a amamentação. 

- A falta de sono. O bebê pode dormir 18 horas por dia, mas em pequenas sestas, nunca de uma vez. Que você tenha um sono longo, conciliador e prolongado é uma ciência de ficção. Essa falta de sono faz subir o nível de estresse e faz com que a paciência se esgote. 

- O choro do bebê: não apenas pode ser irritante quando ele é constante, mas que também se torna frustrante ouvir chorar sem saber o que fazer para remediar. São cólicas? Será que está com fome? Sono? Está com alguma infecção? O bebê não vem com um manual de instruções e ir conhecendo-o para saber o que acontece implica em passar pela fase em que os choros são assustadores. 

- Sentimentos confusos: você ama o seu bebê mais do que tudo no mundo, mas está imersa num emaranhado de sentimentos. O bebê demanda tanto de você que chega a pensar que não pode mais com nada, que não sabe fazer nada ou que não será capaz de fazê-lo. 

- Você deixa de lado as suas necessidades: não dorme, e às vezes não tem tempo nem para comer. Dedicar tempo para você é algo do passado, como se arrumar e se embelezar. Quando você se olha no espelho, você se dá conta de que está usando uma camiseta suja de respingos de leite, não se penteou e as olheiras chegam até o queixo. 

- O seu corpo não é como era antes: sua barriga ficou como um balão vazio, os seus peitos estão flácidos e você sente que nunca mais terá a mesma forma de antes da gravidez. Não é agradável ver o que acontece com a barriga após dar a luz e esse estado flácido. O desgosto não te deixa pensar que seja passageiro e que pouco a pouco irá voltando à sua antiga forma.   

A boa notícia é que é uma fase passageira e logo você a superará e sempre tem uma solução. Qual é? Para que todas essas vivências e emoções não te sobrecarreguem e te levem a sofrer de uma depressão pós-parto, existe uma solução maravilhosa e pode acreditar que funciona: deixe-se ajudar! 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com