Ser mãe. O que é?

O que representa a maternidade. O que é ser mãe

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

No momento em que soube que ele estava vindo meu corpo se purificou e me enchi de alegria. Um sentimento forte e visceral, que exalava pelos meus poros. Quando ele chegou experimentei uma explosão de amor que inundou a minha vida. Tudo isto pode parecer piegas, mas esta é sensação de ser mãe.

Não importa a maneira como esta pequena criatura vai chegar, sempre será um encontro mágico, transcendental.

O que significa ser mãe?

Ser mãe. O que significa?

Ser mãe é ter a valentia dos guerreiros e um instinto protetor como de uma verdadeira guardiã.

Ser mãe é ter um amor incondicional por alguém que ainda não conhecemos bem, mas que já ocupa o lugar mais importante na nossa vida.

Ser mãe é ter altruísmo para dedicar todo seu tempo ao filho. Mesmo que em algumas vezes seja só em pensamento.

Ser mãe é pensar em cada detalhe da felicidade dele.

Ser mãe é se emocionar muitas e muitas vezes com o sorriso e qualquer gesto que ele possa oferecer.

Ser mãe é deliciar-se com sua carinha suja de comida e suas pequenas travessuras.

Ser mãe é tentar entender o mundo que passa por seus olhinhos, às vezes assustados, mas quase sempre curiosos.

Ser mãe é ignorar o cansaço e o sono.

Ser mãe é estar preparada para qualquer batalha por e ao lado do seu filho.

Ser mãe é agradecer a cada instante a dádiva de ter seu filho por perto.

Ser mãe é saber liberar seu lado criança e brincar de índio, jogar bola, esconde-esconde e toda aventura que surgir no momento.

Quando ser mãe?

Quando ser mãe? Não existe uma regra para isto. É possível ser mãe muito jovem ou bem mais velha. De várias formas: pelo método mais natural, a gravidez. Pela adoção legal, barriga de aluguel, ou sem nenhum método, pelo simples encontro com aquele que será seu filho.

Como mulheres temos o privilégio de ser mãe em alguma etapa da nossa vida. Temos que buscar este nosso direito por caminhos diversos, que às vezes são longos e árduos. Mas quem está nesta luta sabe que  vale a pena lutar para tê-lo em seus braços.

Dizer ou pensar que não está preparada para tal desafio é normal, pois ser mãe implica em se responsabilizar completamente pela vida do outro. Não se preocupe: a maturidade acompanha o processo e tem como consequência uma constante aprendizagem.

Tudo é surpreendente, mesmo depois de observar outras mães, mesmo depois de ler vários livros e manuais sobre o tema, mesmo depois de vários conselhos maternais. Nunca estaremos 100 por cento preparadas para esta tarefa, muitas vezes vamos improvisar e não se preocupe, costuma funcionar. Aqui prevalece o sentido comum e o famoso instinto maternal, em ocasiões melhor do que a opinião de quem tem experiência. 

Uma dica muito importante para as mães: aproveite cada instante com seu filho. Realmente o tempo passa rápido e cada segundo tem seu encanto, que  quase sempre é sinônimo de alegria, talvez um pouco de melancolia e um quê de dor. No momento em que você estiver se lembrando destes acontecimentos tudo já será saudade.

Encare esta grandiosa e maior missão da sua vida e comemore cada batalha vencida. Não tenha receio de errar uma e outra vez, de pedir perdão ao seu filho que ainda não conhece esta palavra.  Não o compare com os demais, pois ele é único e perfeito.  Aproveite a oportunidade e seja feliz com seu filho. Vocês merecem!

Júnea Assir. Guiainfantil.com