Cirurgia plástica em crianças

Novas técnicas utilizadas em cirurgias plásticas

Devido as novas técnicas utilizadas em cirurgias plásticas, cada dia menos invasivas, a procura de pais por orientação sobre cirurgias plásticas em suas crianças tem crescido a cada dia.

A origem da palavra Plástica vem do grego “plastikós”, que significa dar forma. Neste sentido, cirurgiões são os especializados no remodelamento corporal. Por um desvio de raciocínio, a especialidade foi dicotomizada em “cirurgia estética” e “cirurgia reparadora”.

No caso dos meninos, a mais procurada, é a otoplastia, para corrigir as famosas “orelhas de abano”, visando evitar traumas psicológicos ou problemas físicos na idade adulta. Apelidos na escola e na vizinhança podem causar reações violentas (bullying) e até causar depressão, interferindo no desempenho da criança.

Quando as crianças necessitam de uma cirurgia plástica

Cirurgia plástica nas crianças

Os meninos são mais afetados por usarem os cabelos curtos e deixarem as orelhas à mostra. Por ser de escolha própria, ocorre com tranquilidade, pouca dor e a recuperação é muito rápida. Pode ser feita com anestesia local ou geral, e o único cuidado especial é usar faixas protetoras para dormir.

Em recém-nascidos e até os seis meses de idade – quando a orelha de abano for bastante perceptível – pode-se fazer uma modelagem bem simples, com gaze, gesso, algodão, cola especial e bandagem cirúrgica, como prevenção a uma eventual cirurgia futura.

Os adolescentes representam cerca de 13% do total de cirurgias estéticas no Brasil, segundo a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica).

As queimaduras se constituem no segundo campo principal de atuação da cirurgia plástica em crianças, já que a ocorrência de acidentes, especialmente domésticos, provocam lesões mais ou menos graves, tanto quanto à vida quanto às deformidades que podem ficar como seqüelas dessas lesões.

Dentre as principais deformidades congênitas ligadas à Cirurgia Plástica, apresentamos algumas, com respectivas características e época ideal de tratamento:

Riscos da Cirurgia Plástica na infancia

Fissuras labiais e palatinas. Também chamadas de lábio leporino (leporino = semelhante à lebre, já que coelhos têm o lábio naturalmente fendido) e goela de lobo, que é a abertura maior ou menor no céu da boca.

Essas patologias devem ser avaliadas precocemente pelos especialista, de preferência logo após o nascimento, para se estabelecer um programa de tratamento que inclui, não só a cirurgia mas a utilização de próteses que previnem o agravamento das deformidades. Geralmente se opera a fissura labial entre 30 dias e 3 meses e a fissura palatina entre 6 meses e 1 ano.

Mesmo que a pessoa já tenha passado desta idade, a procura por tratamento deve ser imediata.

Microtia ou agenesia de orelha. É a ausência parcial ou total do pavilhão auricular. Quase sempre ocorre somente de um lado.

O tratamento se inicia geralmente aos 5 anos de idade, quando já houve o completo desenvolvimento da orelha. Pode ser feito através do uso de enxertos de cartilagem retirado das costelas ou com próteses de silicone. Alguns cirurgiões condenam o uso dessas próteses porém quando se sabe utilizá-las, dão excelentes resultados sem necessidade de se fazer uma cirurgia bem maior e mais complexa, como é a retirada de enxerto cartilaginoso. Por vezes necessita-se de mais de uma cirurgia para se obter o melhor resultado.

Epicanto. É uma prega que se forma no canto interno dos olhos, às vezes reduzindo sensivelmente o campo visual da criança. Pode estar ligado a problemas mentais, necessitando por isso de uma boa avaliação neurológica. A cirurgia pode ser feita bem precocemente, mas o ideal é que se faça em torno dos três anos de idade, quando o desenvolvimento da criança permite um ato operatório mais tranqüilo e seguro.

Hipospádia. É uma deformidade do pênis que pode levar até mesmo à confusão no estabelecimento do sexo do recém nascido, se o defeito for muito acentuado. Ele se caracteriza por uma curvatura do pênis para baixo e a abertura do meato urinário no corpo do pênis e não na sua extremidade. Em casos muito graves, a abertura pode se dar até mesmo na bolsa testicular (escroto), produzindo maior confusão na determinação do sexo da criança.

O tratamento cirúrgico, que será feito em diversas etapas, deve se iniciar em torno dos três anos de idade, evitando-se graves problemas na área sexual, para a criança. Tratada corretamente, a hipospádia não deverá comprometer a vida sexual do paciente, na idade adulta. Contudo é indispensável sua correta avaliação hormonal que poderá apresentar alterações.

Sindactilia e Polidactilia. São deformidades dos dedos das mãos ou dos pés, caracterizadas, a primeira pela falta de separação dos dedos, podendo ser de dois ou mais. Comumente é só de dois dedos. E a segunda, a polidactilia, pela presença de dedos extranumerários na mesma mão ou pé.

O tratamento deve ser realizado após um ano de idade, sendo que no caso de polidactilia é muito importante estabelecer-se qual é o dedo melhor formado, evitando-se remover aquele aparentemente em excesso, mas que pode ser exatamente o que irá apresentar melhor função.

Nevus. São as pintas, que podem ser pequenas, mas também gigantes, por vezes tomando conta de todo o tórax, dorso e abdômen da criança. E às vezes grande partes dos membros. Essas lesões, quando pequenas são facilmente tratáveis. Quando gigantes, exigem um grande número de intervenções para remoções parceladas - já que a retirada total pode deixar graves seqüelas. Com o surgimento das próteses expansoras de tecidos, consegue-se fazer amplas remoções em um só tempo cirúrgico.

Links Relacionados

  • Tratamento do Lábio leporino e/ou Fenda palatina

    Mesmo que o tratamento do Lábio leporino demore alguns anos, vale a pena esperar. O lábio leporino e a fenda palatina, não afetam somente a parte estética da carinha do bebê, como também pode apresentar outras complicações associadas à alimentação, à linguagem, à dentição, inclusive pode afetar a audição. Conheça algumas delas:

    • Lábio leporino e/ou Fenda palatina
      Lábio leporino e/ou Fenda palatina

      O lábio leporino e a fenda palatina podem desenvolver-se separadamente ou ao mesmo tempo. De todos os defeitos congênitos, o lábio leporino (aberto, partido) e/ou fenda palatina é um dos mais comuns. Atualmente são anomalias que afetam um em cada 700 nascimentos, e são mais comuns entre os asiáticos e determinados grupos de índios americanos. O lábio leporino ocorre com menos frequência entre os afro-americanos.

Comentários

45 comentarios

Avatar

  • elaine cunha
    elaine cunha

    18/04/2013 19:53

    Tenho uma filha de 5(cinco) de e idade que nasceu com microtia ou agenesia de orelha esquerda, mais tem um buraquinho e mais ou menos 60 ou 70 por cento de audição a orelha ,direita e perfeita e ela possui 100 por cento de audição moro em BH MG tem algum cirugião especialista em criança que posso proucurar aqui em BH obrigado e fiquem todos com DEUS.

    Avaliar
    Responder
  • milquiane silva
    milquiane silva

    29/03/2013 03:34

    Ola meu nome é milquiane tenho 26 anos, e tenho
    epicanto que causa um falso estrabismo, que medico
    tenho que procurar? O que devo fazer obrigada!

    Avaliar
    Responder
  • Herlane
    Herlane

    18/01/2013 19:07

    Meu filho nasceu faltando 2 dedos em cada pe, que nome seda a este problema, a que especialista devo procurar.

    Avaliar
    Responder
  • herlane
    herlane

    09/11/2012 22:03

    Olá, queria saber, meu filho tem 10 meses, nasceu com falta do 2º e 3º dedo ne cada pé, qual tratamento ou especialista devo procurar ortopedista? me oriente por favor.

    Avaliar
    Responder
  • raquel
    raquel

    29/10/2012 11:45

    boa tarde minha filha beatriz tem 8 meses e nasceu com anomalia congenita da orelha esquerda microtia quero que ela opere quanto anes melhor porque so operam com 5 anos acima

    Avaliar
    Responder
  • wendel dos santos
    wendel dos santos

    20/08/2012 18:09

    Boa noite!
    Meu filho tem 05 anos e nasceu com microtia unilateral direito.Foi feito vários exames e ficou constatado que a má formação é somente externa,inclusive há um pequeno buraco onde,as vezes,sai um pouco de cera.Há em BH/MG algum cirurgião que faz esse tipo de cirurgia? Qual o risco? O preço?A idade certa para cirurgia?No ano que vem meu filho vai para escola,meu coração fica doendo só imaginar o precoceito que ele vai sofrer dos coleguinhas,por isso quero resolver essa situação antes de ele ir para escola....Minha condição financeira é,mas em nome de JESUS vou conseguir fazer a cirurgia de meu antes dele sofrer na pele o preconceito de todos e se tornar uma pessoa infeliz e sufrida na sociedade.Obrigado pela atenção.Se algum cirurgião puder ajudar o meu filho ficarei grato por toda minha vida...

    Avaliar
    Responder
  • Léia Rocha
    Léia Rocha

    06/08/2012 21:29

    o meu filho nasceu com microtia ,eu fiz exame bera ele escuta 70% gostaria de saber mais sobre o tratamento

    Avaliar
    Responder
  • léia de jesus rocha
    léia de jesus rocha

    05/08/2012 22:17

    olá tenho um filho que nasceu com microtia ,ele esta com oito mese gostaria de saber mais informaçao sobre microtia

    Avaliar
    Responder
  • shirleide
    shirleide

    10/07/2012 15:48

    Olá tenho um filho de 4 meses q tem microtia unilateral do lado direito. Gostaria de saber se tem alguma (hospital) em Pernambuco.

    Avaliar
    Responder
  • Suellen de Fatima Furtunato da Costa
    Suellen de Fatima Furtunato da Costa

    28/06/2012 14:39

    olá! tenho um filho de 5 meses e nasceu com microtia ou agenesia de orelha nas duas,sendo q uma esta mais bem formada só esta fechada e a outra menor, e o canal auditivo esta tampado de ambas, o pior q nem sei o quanto ele ouvi,queria sua ajuda por favor,porém minha cidade é pequena e sem recursos,to desesperada...sou de Goias

    Avaliar
    Responder

Página: 1 de 5 (45 Artigos) 12345››