A comida como prêmio e castigo nos contos infantis

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Se você se dedica a buscar todas as mensagens que são transmitidas através dos contos infantis, pode encontrar um montão de surpresas. Os contos para crianças são como um baú cheio de coisas para descobrir. Os alimentos, por exemplo, tanto podem dar um toque doce como amargo às histórias.

Estes dias estive lendo um curioso artigo que me fez pensar sobre o papel da comida nos contos para as crianças. A matéria se referia à alimentação como instrumento para premiar ou castigar as crianças das histórias. O que seria da Branca de neve se a bruxa não lhe oferecesse uma maçã?

O papel da comida nos contos para crianças

Comida nos contos infantis. Bruxa da Branca de Neve

Os contos formam parte da infância de todas as crianças. O que seria de Willy Wonka sem a sua fábrica de chocolate? Existem chocolates por todos os lados, de todos os sabores e até mesmo chicletes com sabor a comida. O que seria de Chapeuzinho Vermelho sem a sua cestinha cheia de pão, mel, geléia e outras delícias para a vovozinha? Em outro conto tradicional, Cachinhos dourados, a menina com cabelos dourados entra na casa de uma família de ursos e prova cada uma das sopas, uma muito quente, outra morna e outra fria, e acaba dormida. E como Alicia cresceria sem ter comido os pastéis do País das Maravilhas? Muitas coisas passam nos contos infantis sem que a gente perceba.

Os contos infantis estão cheios de referências gastronômicas, tanto para o bem como para o mal. Se a Branca de Neve não tivesse aceitado a maçã de uma mulher que nem conhecia, não teria ficado dormida num sono profundo até que algum príncipe pudesse salvar a sua vida. Ela pagou caro por ter aceitado um alimento de uma pessoa estranha. O que seria de Hansel e Gretel sem a casinha de chocolate? Muitas vezes os doces representam um pesadelo nos contos infantis. Os irmãos Hansel e Gretel, coitados, foram obrigados a comer e a comer pela bruxa para que engordassem e ela pudesse comê-los. Uma verdadeira tortura.

Mas uma das histórias que jamais esquecerei é a da aventura de Ratatouille. Um rato chamado Remy sonha em se tornar um grande chef francês. Através dos esgotos de Paris, ele consegue chegar até um famoso restaurante de seu herói culinário. E assim vê o seu sonho dividido entre a sua vocação e a obrigação de voltar à sua simples vida de rato.

Também me faz lembrar do conto João e o pé de feijão. Um pé de feijão o leva a um castelo mágico onde vive um malvado gigante. Na realidade, os contos infantis ensinam às crianças sobre a comida, quase desapercebidamente. São contos que podem tanto abrir como acabar com o apetite das crianças.

Vilma Medina. Diretora de GuiaInfantil Brasil.