Assim seria o professor perfeito para nossos filhos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Existem professores mais clássicos. Alguns gostam de falar muito em classe, outros preferem que os alunos tomem anotações à mão, se possível. Existem professores que tentam ser amigos dos alunos e os que guardam distâncias. Há aqueles que mandam montanhas de deveres e outros que preferem trabalhar somente em sala de aula. 

Com tantos e tantos professores... Qual é o melhor? Como deveria ser o professor dos nossos filhos? Uma vez analisados os prós e os contras, aqui temos a radiografia do que seguramente seria o professor perfeito

10 características do professor perfeito

assim-seria-o-professor-perfeito-filhos A

Descubra as virtudes que fazem que um professor se aproxime da perfeição. É aquele que consegue que seus alunos se motivem e aprendam de verdade. Esses professores têm em comum tudo isso: 

1. Mantém o contato com a família e pensa em cada aluno como alguém especial. Conhecer aos pais e a família do aluno ajuda a entender e empatizar com a criança. O professor ideal é aquele capaz de encontrar a chave para tirar o melhor de cada aluno. 

2. Lê e conecta com professores que debatem sobre a educação. Trata-se de um professor ativo, que investiga novas fórmulas, novos caminhos para educar, que se adapta às mudanças da sociedade e nunca deixa de aprender. Pode ser um professor que não é contra as redes sociais, mas as usam ao seu favor, e que prefere deixar de lado as lições dos livros para interagir e debater em sala de aula. 

3. Fala muito com seus alunos e inclui a música e a arte na classe. Longe de se esquecer do ensino da música, o bom professor se respalda nela para ensinar seus alunos. Também incentiva aos seus alunos para que se expressem mediante a arte. 

4. Desafia aos seus alunos a superar seus objetivos. Incentiva-lhes e motiva para que consigam se superar sempre. 

5. Sempre recompensa o esforço. Não consiste em premiar ao aluno que tira melhores notas, mas o que mais se esforçou. 

6. Desenvolve o pensamento crítico dos alunos. Incita a que os alunos perguntem e tirem suas dúvidas. Não ensina para que aprendam somente memorizando. Ensina os alunos a pensar. 

7. Experimenta em sala de aula. Este professor prefere que suas aulas sejam mais práticas. Investiga exercícios e atividades. Experimenta. 

8. Sabe controlar o nervosismo e é paciente. Um professor que não grita em sala de aula, que sabe se comunicar com seus alunos de forma enérgica sem necessidade de gritar. Sabe perfeitamente que para ganhar o respeito dos alunos não é preciso erguer a voz. 

9. É criativo e facilita aos seus alunos as ferramentas necessárias para que possam aprender. 

10. Incentiva e anima aos seus alunos constantemente. Não deixa que ‘joguem a toalha’, mas lhes anima a seguir tentando uma e outra vez. E se falharem, não lhes dá importância: perdoa seus erros e lhes convence para que o corrijam e comece de novo.  

'A educação é a arma mais poderosa para mudar o mundo’ (Nelson Mandela). Não desperdicemos essa oportunidade. 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com