Pais e professores, aliados ou inimigos?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Desde que os meus filhos entraram na idade escolar, em cada reunião na escola ou nas conversas entre pais na saída da escola, eu tenho escutado muitos problemas e reclamações comuns entre a instituição educativa e a família. Até alguns anos, pais e professores eram aliados, mas hoje em dia parecem estar em lados opostos.

Antes, quando uma criança se portava mal na escola, os pais se colocavam ao lado do professor, e se considerassem oportunos, duplicavam o castigo. Hoje em dia, a gente sabe que alguns professores têm se sentido ameaçados quando o pai se apresenta na escola para se queixar da sanção que impuseram à criança, sobretudo quando se trata de expulsões temporais que possam interferir nas suas longas jornadas laborais.

Relação dos pais com os professores da escola da criança

pais-e-professores-aliados-ou-inimigos A 

É certo que os pais têm que enfrentar diariamente duros e longos dias de trabalho e que, com a crise, eles vivem tão preocupados em conseguir um melhor salário no final do mês, que acabam se esquecendo de impor ordens claras e racionais em casa, o que na opinião de educadores e psicólogos tem consequências graves na educação dos filhos. 

Muitos pais têm se negado a instaurar em casa o modelo autoritário que foram educados, mas tão pouco têm sabido encontrar um novo. E por outro lado, a ausência do lar cria um enorme sentimento de culpa, que os pais, na maioria das vezes, tratam de compensar com concessões, mimos e compensações materiais de todo o tipo, o que acaba forjando crianças e adolescentes fracos e imaturos. 

As instituições educativas defendem que não é da sua responsabilidade a tarefa de educar, que isso é papel da família e que a escola deve colaborar, mas a responsabilidade é dos pais. É precisamente neste ponto onde surge o conflito, que acaba criando e alimentando um áspero clima social: as escolas pretendem se concentrar mais na formação profissional e menos na pessoal, porque estão se perdendo importantes valores tradicionais como o esforço, a exigência e o respeito.

O mais terrível é o descrédito do saber que está afetando a escola e a universidade. Esse ideal de estudo, de trabalho duro e de recompensa, já não funciona. 

No Brasil, é visível a falta de compromisso dos governos com a Educação. Professores despreparados, alunos rebeldes e sem limites, salários muito baixos e a falta de esperança tem feito com que a criança acabe não tendo uma educação de qualidade, principalmente nas escolas públicas. Na verdade, o professor deveria promover ensino de valores, que por sua vez deveria ser iniciado em casa. Um trabalho conjunto entre pais e professores deveria ser a meta para melhorar o ensino no país. 

Marisol Nuevo