As crianças e o respeito às diferenças

Como inculcar o respeito às diferencias nas crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Respeitar a si mesmo e aos demais é um dos valores que considero mais importante na educação das crianças. Quando vejo crianças brancas, negras, chinesas, latinas, compartilhando brinquedos num parque infantil, eu consigo ver uma luz de esperança até a igualdade. 

O respeito às diferenças se aprende desde cedo

O respeito às diferenças e as crianças

Se você parar para observar as crianças, logo se dará conta de que elas, por si mesmas, não vêem diferenças. Quando brincam, elas não perdem tempo em olhar ou analisar a cor da pele, o tipo de idioma ou a classe social das outras crianças. Elas brincam. As diferenças estão nas atitudes dos seus pais, em como eles reagem diante da diversidade. O respeito às diferenças, à diversidade, às distintas culturas e raças, deve e pode ser ensinado às crianças desde quando são muito pequenas.

A diversidade existe, e devemos aceitá-la e respeitá-la, ao invés de criticá-la. Podemos aprender muito com as diferenças. É uma tarefa muito importante, principalmente em um mundo em que as realidades se misturam. Uma criança pode aprender a respeitar a diversidade quando seus pais também a praticam, lendo livros e histórias de outras culturas, conhecendo outros idiomas, viajando e conhecendo lugares e realidades diferentes, visitando exposições sobre diferentes países, e tendo a liberdade na escolha dos seus amigos

As diferenças também educam as crianças

Pais e educadores têm diante de si mesmos, uma grande tarefa de educar as crianças no respeito à diversidade. E mais, eles podem ensinar a transformar as diferenças étnicas e culturais em aprendizado. As crianças podem aprender muito com as diferenças culturais e tradições dos seus amigos e companheiros. É importante que inculquemos à criança quão importante é integrar e abraçar a um novo amigo ou colega, seja chinês, branco, negro, árabe ou indígena. A uma criança com uma cultura ou idioma diferente da nossa, o que devemos fazer é dar-lhe a oportunidade de se adaptar e de se integrar. 

Vilma Medina
Diretora de GuiaInfantil.com