Complicações que podem acontecer no parto

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O parto é um processo natural para toda gestante, mas temos que levar em conta que todas as circunstâncias que acompanham o parto são importantes, ainda que no início são suspeitemos de nenhum problema. Mesmo que hoje em dia (pelo menos nos países mais desenvolvidos) seja pouco frequente que uma mãe possa morrer ao dar a luz ao seu filho, é importantíssimo saber que não é a mesma coisa dispor de um plano de saúde e não tê-lo, da mesma maneira que é fundamental ter a possibilidade de dar a luz com garantia de que nossa saúde e a do nosso bebê estejam em mãos adequadas. 

O que pode acontecer no parto

parto-problemas-mulher-sofrendo A 

Num país como o Afeganistão, em que apenas 14% das mulheres têm assistência médica, uma em cada oito mulheres morrem por complicações antes ou depois do parto. A assistência médica durante o parto é a garantia de prevenção de possíveis complicações. Graças à atenção e aos avanços médicos, um grande número de problemas de paralisia cerebral em bebês foram reduzidos durante o parto, além de doenças infantis e mortalidade tanto da criança como da mãe com medidas preventivas. 

Riscos de um parto complicado 

O processo de parto pode durar de 8 a 12 horas. É claro que pode haver exceções. Tudo depende do estado da mamãe e do bebê. As complicações do parto podem ocorrer durante qualquer dos períodos do parto (contrações, dilatação e expulsão) e requerem uma intervenção rápida e eficaz para evitar danos na mãe e no seu bebê. Mesmo que a maioria dos partos transcorra e culmine sem nenhuma complicação, dar a luz não está livre de riscos e podem acontecer alguns problemas pontuais, conhecidos ou imprevisíveis, que terão solução mediante a intervenção urgente de instrumentalização (fórceps, ventosa) ou cesárea. Com certeza já ouvimos falar de algumas complicações:

- Em algumas ocasiões, as contrações durante a dilatação não são efetivas, o útero perde capacidade e isso condiciona que o parto se estanque e não progrida como é devido, dando lugar a um parto prolongado (quando dura mais de 14 horas para primíparas ou mais de nove para as multíparas). 

- Parto prematuro (antes das 37 semanas de gestação) por ruptura prematura de membranas, anomalias uterinas, doenças da mãe, má nutrição, infecções ou outras causas desconhecidas. 

- Sofrimento fetal, situação que se dá quando existe um decréscimo ou interrupção do fluxo de oxigênio por complicações no parto do tipo prolapso do cordão (na qual o cordão umbilical precede o bebê na sua passagem pelo canal de parto), problemas na placenta, presença de mecônio no líquido amniótico, etc.

- A posição do feto ou a longitude podem causar uma dificuldade para o processo normal do parto. Da mesma maneira, durante o pós-parto, é importante a supervisão, ainda que graças a uma maior higiene e uma melhor nutrição, a mulher seja menos vulnerável a infecções ou problemas físicos no pós-parto.

Patro Gabaldón