Mergulhos perigosos das crianças na piscina

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Acabo de voltar de umas mini-férias e durante estes dias fiquei de cabelo em pé ao ver crianças se jogarem e mergulhar na água em lugares pouco apropriados para a sua segurança. Se jogar de cima de árvores, de rochas dos penhascos ou em lugares pouco profundos da piscina podem causar lesões e traumatismos perigosos, sobretudo quando se jogam de cabeça.

Acidentes com os mergulhos das crianças na água

mergulhos-perigosos-das-crianças-piscina A

Calcula-se que os maus mergulhos produzam por ano entre 40 e 100 lesionados medulares. Para evitá-lo, os especialistas apelam para o sentido comum dos banhistas, já que a melhor maneira de evitar estas lesões que, em alguns casos, podem se tornar graves, é conhecer bem a profundidade das águas antes de se jogar.

Convém mergulhar várias vezes em pé antes de fazê-lo de cabeça, sobretudo no mar ou nos reservatórios de água doce para comprovar a profundidade do lugar aonde vamos tomar banho com as crianças. Praias, lagos e piscinas de rios são especialmente perigosas, já que podem apresentar irregularidades no terreno e áreas pouco profundas que podem danificar ou lesionar algumas partes do corpo, sobretudo a cabeça e o pescoço quando mergulhamos com toda a velocidade a certa altura.

Comprove que a água tenha suficiente profundidade

Os pais devem levar em conta estas considerações durante as férias com os filhos. A maioria das crianças não vê perigo, são pouco precavidas, e no seu desejo de se divertir prefere correr riscos que podem acabar prejudicando sua saúde. Por este motivo, evite que o seu filho se jogue de cabeça em áreas que vocês não conhecem ou em águas pouco profundas. Comprove que a área tem uma profundidade suficiente para mergulhar e procure não mergulhar em águas turvas ou com muitos banhistas.

Na piscina, advirta seus filhos que não se joguem de cabeça em áreas pouco profundas para evitar que batam com a cabeça no fundo. Mesmo assim, é recomendável que a criança se jogue sempre com as mãos na frente para amortizar o impacto no caso de colisão, e muito cuidado com os mortais, cambalhotas e outras piruetas próximas à borda das piscinas, em pontes ou pedras, porque uma queda poderá ocasionar uma grave lesão. 

Em caso de acidentes, a Cruz Vermelha recomenda imobilizar o pescoço do ferido, evitar mover a coluna e avisar um profissional para que acompanhe o acidentado, evitando os veículos utilitários particulares, caso seja necessário o traslado a um hospital. E lembrem-se, divertir-se com responsabilidade e precaução é duplamente prazeroso. 

Marisol Nuevo