Quando a criança tem câncer

Como falar do câncer com uma criança

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Confusão, ansiedade, desorientação, são sentimentos que, em muitos casos, são compartilhados pelos pais de crianças que têm câncer. Tanto a linguagem do diagnóstico como a complexidade, que muitas vezes implicam as terapias de tratamento, dificulta o entendimento dos pais sobre o tema. E, se para os pais é difícil, imagine para os pequenos envolvidos. 

Como falar do câncer com uma criança

Como falar do câncer com as crianças

Como falar do câncer com uma criança? A primeira coisa que os pais devem fazer é adquirir preparo, informação e entendimento sobre a doença. É importante que os pais falem do câncer com o seu filho de uma forma clara, sincera e sem sobressaltos. Se for necessário, peça uma orientação médica.

Ele saberá dizer qual deve ser o momento mais conveniente para que o filho saiba que tem câncer. Não existe razão para se desesperar. As energias devem ser centralizadas na solução, no tratamento e na cura da doença. 

O câncer pode ser explicado à criança de acordo com a idade que ela tenha. Cada criança é um mundo distinto, e por isso os pais devem encontrar a forma apropriada para contar sobre a doença a cada uma delas. A gente dá algumas dicas: 

- Uma criança de 2 anos não tem a capacidade de entender o câncer. Saberá que tem um 'dodói' que precisa ser cuidado, e nada mais. Nessa idade, a criança precisa de proteção, apoio e ânimo, principalmente quando tenha que espetar, fizer algum exame dolorido, ou visitar muitas vezes ao médico e ao hospital

- A partir dos cinco anos de idade, a criança vai entender algo mais sobre o conceito da doença, principalmente quando estiver vivenciando-a. Nessa idade, provavelmente vai querer saber por que está sofrendo da doença. Fale para a criança que o importante não é saber o porquê, mas sim a sua colaboração e cooperação no tratamento. Diga-lhe que o câncer são células “más” e que o tratamento fará com que as células “boas” acabem com elas. Os pais devem transmitir à criança confiança através de atitudes positivas. 

- A partir dos 7 anos de idade, a criança compreenderá melhor a doença. Poderá entender que a cura também dependerá da sua colaboração. Nessa idade, a criança já expressará melhor o que sente, seus medos, suas dúvidas, e dificilmente mostrará resistência para fazer algum exame ou a tomar medicamentos, ainda que conheça os seus efeitos

Em todos os casos e independentemente da idade que a criança tenha, a postura e o apoio familiar são muito importantes. A criança quer se sentir protegida e acolhida. É necessário que se mantenha uma rotina, para que a criança se adapte à nova e temporal situação.