Quando as crianças podem tomar banho sozinhas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A hora do banho é um momento cotidiano que pouco a pouco teremos que ir delegando aos nossos filhos. No início, a limpeza e a higiene dos nossos filhos recaem sobre a gente. Mas, em que momento nós devemos ou podemos passar a responsabilidade às crianças?

Como sempre, a inquietação e a evolução são diferentes para cada criança. Não existe uma idade ou um momento determinado para tornar nossos filhos responsáveis pela sua higiene diária. O dia a dia vai nos mostrar quando eles têm autonomia suficiente para ter total independência no banho. 

Como as crianças devem se banhar

Quando as crianças devem tomar banho sozinhas

Aos três ou quatro aninhos, já podemos incentivar o uso da esponja nos nossos pequenos, aproveitando esse momento para ensiná-los suas primeiras noções de anatomia, dar nome às partes do corpo que eles vão ensaboando sob sua supervisão. Deixemos que eles tomem a iniciativa, mas para que mostrem maior interesse devemos ir eliminando os brinquedos que eles brincavam na hora do banho, para que a brincadeira seja começar a se banhar. 

O cabelo e a finalização ainda necessitarão de nossa supervisão alguns anos mais. A limpeza integral por parte da criança dependerá da dificuldade. É muito mais fácil para um menino que tem o cabelo curto, fazê-lo de maneira aceitável do que para uma menina com cachos ou cabelos compridos, mas em qualquer situação, ambos podem sair orgulhosos do banho sozinhos por volta dos 6 anos. Ensaboar, enxaguar e desembaraçar o cabelo pode demorar um pouco mais, mas já iremos observando a evolução dos resultados. 

Meu filho passou a se banhar sozinho por volta dos sete anos, mas hoje em dia, que tem 9 anos, ainda é necessário uma ‘parada nos boxes’ de vez em quando para comprovar o enxague do cabelo, a pele atrás da orelha, que parece que esquece com frequência e apresentam temporariamente uma cor suspeita.

Com um simples pano ou toalhinha umedecida em colônia, obteremos uma finalização perfeita. Um passo a mais na autonomia dos nossos filhos contribui para nós, um tempo recuperado para outras tarefas ou afazeres domésticos, além de uma satisfação e êxito para eles como para os orgulhosos papais. 

Patro Gabaldón