370.000 bebês nascem com AIDS a cada ano

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É possível eliminar a transmissão do HIV (vírus da imunodeficiência adquirida) entre mãe e filho? Hoje, no Dia Mundial contra a AIDS, a UNICEF revela em seu informativo, que aposta em uma geração sem AIDS. Espera-se que em cinco anos, não nasçam mais crianças com HIV, ainda que os dados das últimas estatísticas revelem que aproximadamente 370.000 recém-nascidos continuam sendo infectados por essa doença a cada ano, durante o parto ou aleitamento materno. 

Prevenção da AIDS

370000-bebês-nascem-com-AIDS A 

90% dos bebês com HIV nascem na África Subsaariana, onde até a metade deles, por falta de tratamento, morre antes de completar os dois anos de idade. Como essa situação poderia ser mudada? Todos nós sabemos que a AIDS, assim como o diabetes e outras doenças crônicas não tem cura, mas sim prevenção e tratamento.

É amplamente difundido que o aleitamento materno é a melhor maneira de alimentar a um bebê. No entanto, uma mulher infectada com o HIV pode transmitir o vírus ao seu bebê durante a gravidez, o parto e através da amamentação. A UNICEF acredita que a solução está em aumentar os esforços atuais para fazer com que as mães com HIV recebam tratamento adequado para controlar a doença, estejam onde estiverem. 

O bloqueio da transmissão dessa doença da mãe ao bebê é possível se existir um controle durante a gravidez. Se a gestante, após realizar os exames de detecção de HIV der positivo, deverá receber a medicação antirretroviral, tratamento durante e depois do parto, e orientação sobre a alimentação do seu bebê. Para conseguir que praticamente nenhum bebê chegue ao mundo carregando a carga do HIV, é necessário continuar pressionando os líderes para que cumpram suas promessas de financiamento e busquem novos modelos inovadores para preencher esse vazio. Também faz falta que os medicamentos sejam entregues inclusive em lugares distantes. Dos 33,4 milhões de infectados com o HIV, 2,5 milhões são crianças. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aposta na prevenção entre mulheres e mães jovens. Mais de 60% dos jovens que vivem com o HIV em todo o mundo são mulheres com idade inferior aos 25 anos. São as mais vulneráveis e as mais prejudicadas nesse sentido. Medidas de prevenção, tratamento, cuidado e ajuda às mães com AIDS, são palavras de ordem que mais se escutam no dia de hoje. Oxalá isso se torne em realidade. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com