Poliomelite em bebês. Doença infantil

Vacine o seu filho para evitar que ele tenha Poliomielite

Vilma Medina

Vilma Medina

A poliomielite é uma doença viral aguda, cuja gravidade varia desde uma infecção sem sintomas até uma doença febril inespecífica, meningite asséptica, paralisia infantil e morte. É transmitida por contato direto.

O vírus se transmite por via fecal-oral. O vírus da pólio se multiplica no sistema nervoso central e provoca uma paralisia grave, causando deformação nos membros com atrofiamento dos músculos. Pode causar a morte. A pólio se encontra em todo o mundo, mas é mais frequente em países em desenvolvimento e a única forma de prevenir e evitar esta doença é através da vacina.

Sintomas e causas da poliomielite

Poliomelite nos bebês e crianças

Na maioria dos casos, pessoas infectadas com o poliovírus não se sentem doentes. Algumas vezes o vírus pode causar sintomas parecidos com os da gripe por alguns dias, ou uma combinação de febre, mal-estar, sonolência, dor de cabeça, dor muscular, corpo dolorido, náusea, vômito, diarréia ou constipação, e dor de garganta.

Em aproximadamente 4 por cento dos casos, a poliomielite causa meningite, uma infecção nos revestimentos do cérebro. Em menos de 1por cento dos casos de poliomielite há paralisia, que torna difícil mover um ou ambos os braços e pernas, e mais raramente, os músculos respiratórios.

A poliomelite é produzida pelos poliovírus (gênero enterovírus) tipo 1, 2, 3: Todos eles causam paralisia, sendo o mais frequentemente isolado em casos de paralisia é o tipo 1, sendo frequentemente o responsável pelas epidemias. O tipo 3 é o de menor frequência.

Vacinas da poliomielite

Existem duas formas de vacina: a injetável SALK (vírus inativo) e a oral SABIN (vírus vivo). Ambas requerem duas doses (3 para meninos) com intervalos de um mês, reforço depois de um ano e logo a cada 10 anos (5 anos para meninos).

Esquema Vacinal de Rotina (VOP – SABIN):
1ª dose aos 2 meses intervalo de 60 dias*
2ª dose aos 4 meses intervalo de 60 dias*
3ª dose aos 6 meses intervalo de 60 dias*

VOP (SABIN) reforço 15 meses
  * Intervalo mínimo de 30 dias

Casos especiais

• As crianças imunodeprimidas (com deficiência imunológica congênita ou adquirida) não vacinadas ou que receberam esquema incompleto de vacinação contra poliomielite; crianças que estejam em contato domiciliar ou hospitalar com pessoa imunodeprimida; pessoas submetidas a transplante de órgãos sólidos ou de medula óssea; recém-nascidos que permaneçam internados em unidades neonatal por ocasião da idade de início da vacinação; e crianças com história de paralisia flácida associada à vacina, após dose anterior de VOP, devem receber a vacina inativada contra poliomielite (VIP/Salk), disponibilizada nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE).

• Filhos de mãe HIV positivo antes da definição diagnóstica e crianças com HIV/Aids devem receber a VIP e, quando não disponível esta vacina, deve-se utilizar a VOP.

Otite em bebés e crianças

Otite em bebés e crianças

Otite é a causa da dor de ouvido em crianças e bebês. A otite é uma inflamação do ouvido médio (espaço atrás do tímpano), muito frequente durante a infância, principalmente em crianças menores de 3 anos de idade, que vão à creche e que acumularam mucosidade em consequência de um catarro.

Crianças e bebês com papeira

Crianças e bebês com papeira

Sintomas, causas e cura da papeira (caxumba) em crianças e bebês. A papeira ou parotidite nas crianças e bebês é uma infecção viral aguda, caracterizada pelo inchaço das glândulas salivares e que por sua vez pode comprometer outros órgãos. Sua incidência aumenta no início da primavera, geralmente em crianças na idade escolar. O período de contágio abrange de 1 a 2 dias prévios à aparição da papeira até um período entre 4 e 9 dias posteriores à aparição.

Pé-de-atleta em crianças

Pé-de-atleta em crianças

Sintomas, causas e cura do pé-de-atleta nas crianças. O pé-de-atleta é uma infecção dos espaços interdigitais e da planta do pé produzida por fungos. É pouco frequente em crianças pequenas. A manifestação mais comum do pé-de-atleta é a descamação e fissuras (comumente chamadas “gretas”) nos espaços entre os dedos dos pés e por vezes também por baixo destes. Esta descamação pode depois espalhar-se para a planta dos pés. Pode haver comichão ou mesmo sensação de ardor ou dor se as fissuras estiverem presentes. A transpiração aumentada dos pés é uma queixa frequente e que pode facilitar o aparecimento das lesões.

Bebês e crianças celíacas

Bebês e crianças celíacas

A celíaca, é uma das doenças intestinais crônicas mais comuns. É a doença que ocorre com mais frequência na Europa. Segundo a Federação de Associações de Celíacos da Espanha (FACE), um de cada 200 ou 300 nascidos vivos na Espanha, pode sofrer dessa doença.

Como explicar o câncer às crianças

Como explicar o câncer às crianças

Os pais devem falar do câncer com seu filho, de uma forma clara, sincera e sem sobressaltos. Ao se confirmar o diagnóstico da doença, é normal que os pais se sintam confusos, ansiosos, desorientados, e totalmente perdidos diante da complexidade que supõe a linguagem do diagnóstico, assim como as terapias de tratamento.

A higiene na convivência das crianças e os animais de estimação

A higiene na convivência das crianças e os animais de estimação

A higiene e limpeza de cachorros e gatos que convivem com crianças. Se você deseja ter um mascote, mas tem dúvidas de que possa ser prejudicial ao seu filho, tire já essa dúvida. Ter um bichinho de estimação em casa, pode ser algo muito educativo para as crianças. Quer saber por que?

2 comentarios

  • Lisa

    2011-03-30 07:13:10

    Gostei muito. Ajudou imenso no meu trabalho;)

  • gabeçuda

    2010-05-26 13:35:39

    ;D gostei achei interessante