O que devemos levar em conta após levarmos nosso filho para vacinar

Aspectos a serem levados em conta após a criança ter sido vacinada

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Vacinar continua sendo um ato de amor e que previne a criança de muitas doenças, mesmo que algumas pessoas ainda sejam contrárias. Uma vez que você decidiu vacinar aos seus filhos existem algumas coisas que você deve levar em conta. Depois de vacinar a criança, os pais devem estar atentos a alguns aspectos. 

Para que servem as vacinas das crianças

o-que-devemos-levar-em-conta-após-vacinar A

As vacinas são administradas geralmente através de uma injeção em bebês e crianças seguindo um calendário anual de vacinação previamente estabelecido e que dura toda a infância. O objetivo das vacinas infantis é imunizar a criança contra certas doenças que poderiam implicar em risco para a sua saúde.

Desde que se é recém-nascido as crianças começam a ser vacinadas contra a varicela, o sarampo, a difteria, a pólio (a paralisia infantil), a gripe,  e mais adiante contra o Vírus Papiloma Humano (HPV), dentre muitas outras vacinas. Todas elas com a intenção de prevenir não apenas a doença, mas o contágio entre as crianças.

Parece bastante claro que as vacinas infantis são benéficas tanto para a sua saúde como para a saúde das outras crianças. Levando em conta que o risco de contágio, sobretudo em escolas e creches, as vacinas atuam como modo de prevenção do que poderia chegar a ser uma epidemia.

5 possíveis reações depois de vacinar a criança

Tão pouco podemos afirmar que as vacinas possam provocar algumas reações e que possam ter efeitos secundários. Convém observar a criança se ela sente algum mal estar e o pessoal de saúde também recomenda não abandonar o posto ou centro de saúde imediatamente após administrar a vacina em caso de alguma reação. Essas são as reações mais frequentes que podem provocar as vacinas infantis.

- Inchaço. Como as vacinas se administram geralmente por meio de uma injeção, algumas crianças apresentam um inchaço na área onde foi aplicada a vacina. Não se trata de gravidade e pode se acalmar aplicando uma compressa fria.

- Dor. A dor na área onde se vacinou é um dos efeitos secundários mais comuns. Geralmente a dor é muito leve e passa no final de algumas horas, mas pode ser que em alguns casos a criança tenha que tomar um analgésico, sempre sob supervisão médica. 

- Vermelhidão. Algumas das substâncias que contém as vacinas podem provocar vermelhidão na pele da criança. Não é um efeito secundário muito habitual após uma vacina, por isso convém consultar o pediatra para tratar a área afetada e comprovar que não se trata de uma alergia. 

- Febre. Não acontece com todas as vacinas e tão pouco em todas as crianças, mas é possível que apareça alguma febre após aplicar-lhe a vacina. Administrar à criança um antipirético e controlar para que a febre não seja muito alta é o mais recomendável para esta reação. 

 - Humor. Ser vacinado não é um prato delicioso de se degustar, muito menos para uma criança, por isso é frequente que ela se ponha a chorar ou fique emburrada após a vacina. Isso se soluciona mantendo a criança entretida em alguma atividade que ela goste, mas também lhe explicando a importância que tem as vacinas para a sua saúde. 

Laura Vélez

Redatora de Guiainfantil.com