A decoração e as crianças

Decorar o quarto do futuro bebê requer paciência e muito amor

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O espaço que as crianças vão ocupar em casa é muito importante para garantir seu bem estar. Durante a gravidez, alguns pais já visualizam as cores e o tipo de decoração que querem para o quarto do seu filho. Outros preferem esperar, visitar lojas, consultar opiniões e optar em equipar o ambiente com simplicidade, enquanto escolhem com tranquilidade e paciência a decoração que mais tenha a ver com as necessidades do bebê. 

Quanto ao gosto, ocorre algo parecido. Alguns pais preferem tudo muito simples e singelo, outros, por outro lado, decidem decorar o quarto dos sonhos para o futuro bebê. Uns optam em comprar e outros preferem criar e montar eles mesmos. De qualquer modo, o quarto onde o bebê vai dormir sempre reflete em cada cantinho, o carinho e a dedicação dos seus pais. 

Decorar segundo a idade da criança 

Na hora de decidir pela decoração do quarto das crianças, primeiro se deve medir o espaço disponível para tomar as devidas escolhas. Também é conveniente ter muito claro quanto se pode e se quer gastar. Enfrentar o desafio de decorar o quarto do futuro bebê requer paciência, determinação, e muito amor e vontade. Os sentimentos se expressam e se notam nas coisas que fazemos. Em geral, os especialistas em decoração, acreditam existem duas idades que se devem diferenciar quando os pais decidem decorar o quarto das crianças. A primeira corresponde ao quarto do bebê recém-nascido até os três anos de idade, que tem uma decoração muito específica com o berço como protagonista. A segunda decoração está dirigida à criança entre os três e os onze anos, onde a mesa de estudo e a cama são a “bola da vez”. 

Modas, gostos e desenhos 

No entanto, os princípios para decorar o quarto podem variar em função das modas, dos gostos e do espaço disponível. Mas existem alguns denominadores comuns dominantes na cor das paredes (geralmente cores neutras ou pastéis), nos móveis (laqueados em cores claras ou acabados em madeiras de tons suaves) e nos complementos (roupa de cama, cortinas, tapete, iluminação) em tons relacionados com o sexo do bebê. 

É comum, também a escolha de um tema infantil, como Branca de Neve, Mickey, Barbie, e encher de complementos o quarto da criança com objetos e tecidos relacionados com o personagem escolhido. Alguns pais acreditam que com um tema é mais fácil decorar, já outros preferem usar a própria criatividade e idealizar um ambiente mais personalizado. Tudo depende da disponibilidade do espaço, dos recursos econômicos disponíveis, do tempo e do grau de fantasia que os pais tenham. Hoje em dia a oferta para a criação de ambientes infantis é cada vez mais ampla e variada. Existem preços ao alcance de todos os bolsos, talvez por isso, a demanda continue num ritmo crescente.