Como ajudar as crianças a superarem o egoísmo

Dicas e claves para conseguir que o seu filho seja generoso e não egoísta

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É normal que as crianças mostrem condutas egoístas na infância. Os menores podem querer satisfazer seus desejos e necessidades sem levar em conta os demais. 

Ainda que o egoísmo faça parte do curso normal do desenvolvimento infantil, desde cedo os adultos devem começar a favorecer as condutas de cooperação e empatia com os outros. 

Educar a crianças longe do egoísmo 

Ensinar a criança a ser generosa

- Os adultos devem servir de exemplo. Devem demonstrar que compartilhar com os outros é enriquecedor e que todos desfrutamos disso.

- Podemos numerar com elas as vantagens que têm em compartilhar com os demais, sem esquecer nessa lista, que se compartilhamos, teremos mais possibilidades de que os outros também compartilhem com a gente.

- Antes dos três anos, as crianças não têm a capacidade para entender o conceito de compartilhar, porque não faz sentido obrigá-las a agirem assim. No entanto, devemos favorecer, na medida do possível, as brincadeiras e jogos compartilhados e reforçaremos e podemos elogiar qualquer conduta de cooperação espontânea. 

- Ensiná-las a diferenciar que existem coisas que são suas e coisas que são de todos e que por isso haverá ocasiões em que devem compartilhar ainda que não queiram, para que elas entendam que não podem dispor de tudo aquilo que lhes dá vontade e que os demais também têm direito de utilizar certas coisas. Nesses casos em que compartilhar seja uma obrigação, é necessário que os pais se mantenham firmes e não cederem diante das possíveis birras ou ataques que apresentarem. 

- Permitir à elas algum brinquedo “especial” que nunca a obrigaremos a emprestar aos outros, porque inclusive nós adultos, temos pertences que nunca compartilhamos com outras pessoas. Assim, quando souber que vai enfrentar alguma situação em que seria bom que compartilhe, pergunte à criança, explicitamente, que brinquedo ela gostaria de levar para compartilhar com outras crianças, ou seja, pergunte a ela qual brinquedo ela não se importa de emprestar aos outros para que lhe custe menos conseguir esse tipo de conduta. 

Aroa Caminero
Psicóloga
Centro de Psicologia Álava Reyes