O bom e o ruim dos sustos para as crianças

Por que as crianças gostam tanto de dar sustos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As crianças gostam de se esconder e dar sustos na gente, mas também gosta que a gente assuste a elas. Brincar de assustar entusiasma as crianças, mas por quê? É bom ou ruim brincar disso? O que existe por trás do susto e da surpresa? 

Vamos analisar o porquê desse tipo de brincadeira. Talvez brincar de assustar esconda algo mais. 

Por que as crianças gostam dos sustos

o-bom-e-ruim-dos-sustos-nas-crianças A 

Se a gente reparar bem quando andamos pelas ruas, a gente vai ver como várias crianças brincam de se esconder por trás de alguma casa para dar susto nos seus pais quando eles passam. Elas andam um pouco mais rápido, se escondem e os esperam para surpreendê-los com um Uh! Te assustei!!.  

E isso se repete em diversas cidades, grandes e pequenas. Não importa onde nem quando. O assunto é surpreender ao papai ou mamãe e rir bastante por um momento. Olhando assim, parece que não existe nada de ruim por trás dessa brincadeira de crianças, e em geral é assim mesmo que acontece. Mas, o que acontece quando as vítimas da brincadeira são as crianças? É divertido da mesma maneira ou pelo contrário, essa brincadeira acrescenta mais medos ainda nos nossos filhos? 

As crianças gostam de ser assustadas também? 

Parece que sim na maioria das vezes. Sua reação diante dos sustos por surpresa são risos e gargalhadas, ainda que às vezes fiquem chateadas com a gente, mas o normal é que elas se divirtam. A brincadeira de assustar cumpre, como qualquer outra, uma função psíquica que contribui para o desenvolvimento cognitivo, social e emocional, contribuindo com a personalidade da criança.

Os benefícios para a criança de brincar com os sustos 

Brincar de assustar, tanto se a criança é quem assusta ou quem é assustada, permite a liberação de angústias, medos ou temores reprimidos ao longo do dia de um modo lúdico e controlados. Por isso a criança se sentirá melhor após a brincadeira. Quanto menos brincam, mais reprimem os seus sentimentos, por isso é bom deixar que as brincadeiras fluam normalmente. 

Esse tipo de brincadeira nos permite trabalhar alguns medos infantis, como é o medo de estar só ou medo do que pode aparecer por trás das portas fechadas de armários ou porões. Para crianças muito sensíveis se deve usar de cautela, porque o objetivo é assustar e não atemorizar ou desesperar os outros. 

Sara Tarrés Corominas

Psicóloga infantil 

Orientadora infantil