Os quadros de incentivos na educação das crianças

Os quadros educativos como alternativa aos castigos na infância

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os quadros de incentivos são um sistema de motivação extrínseca baseada no reforço positivo. Ou seja, quando as emoções, tanto prazerosas como desagradáveis poder ser geradas pela recompensa recebida depois de realizada uma ação. 

Aparecem como alternativa ao castigo constante que acontece pelo seu mau comportamento. Graças ao sistema de prêmios que se propõe com esse tipo de quadros, trata-se de reforçar positivamente ações como se comportar bem, fazer suas tarefas, obedecer, etc. 

Como e quando usar os quadros de incentivos com as crianças

os-quadros-de-incentivos-crianças A 

Esse tipo de tabela pode ser usado quando a criança tiver por volta de 6 anos em diante. São muito eficientes para mudar comportamentos específicos, ainda que devam ser utilizadas de maneira adequada e não abusar delas. Deve-se escolher bem a conduta que se quer mudar. Deve ser algo que se possa controlar e onde: 

- O que peçamos não seja demasiadamente ambicioso. 

- Que a mensagem que quisermos dar seja clara. 

- Formular o que se pede de maneira positiva

Deve-se colocar num lugar visível da casa. E usar imagens é muito melhor que palavras. Uma vez iniciada esse sistema de incentivos, a gente deve levar em conta que: 

1. A gratificação deve ser o mais imediata possível. 

2. Há que manter o compromisso. Não funciona se um dia preenchermos o quadro e no outro não. Ou um dia lhe damos o prêmio e outro não.

3. Só se dão reforços positivos. Portanto, só se obtém pontos quando se consegue o comportamento desejado. Não colocaremos ‘pontos negativos’ quando não fizer nem tiraremos o marcador caso se porte mal em outra coisa. 

4. Este sistema funciona se for usado de forma excepcional. Se não conseguirmos que o pequeno mude sua conduta e já tenha passado uns 15 dias, é melhor deixá-lo e esperar que esteja preparado. 

Tipos de quadros de incentivos para crianças 

1. Tabela simples. Numa cartolina, desenhamos uma tabela com uma só linha (o comportamento a ser mudado) e colunas com os dias da semana (de segunda a sexta). 

2. Tabela com três condutas. Só queremos mudar uma, mas usamos as outras duas para reforçar. Por exemplo, colocaremos duas condutas que gostaríamos que a criança tivesse, junto com a que não goste, incluindo as três condutas em forma de linhas. Ao conseguir prêmios e aprovação pelas condutas que não lhe custam será mais fácil mudar aquela que a criança tem mais dificuldades.  

3. Tabela para situações especiais. É a que se usa quando se tem um comportamento a mudar numa situação e lugar específicos. 

Por que às vezes as tabelas de incentivos na infância não funcionam 

Muitos pais e professores não administram a tabela de maneira adequada. Acontecem erros do tipo: 

- Os pais e professores anotam para eliminar as condutas negativas ao invés de incentivar as condutas positivas. 

- Fixar-se num objetivo inicial inalcançável ou que o quadro seja difícil de manter pelos pais. 

- Que os prêmios sejam difíceis de obter para a criança. 

Borja Quicios

Psicólogo educativo