O que fazer para mudar a postura negativa de uma criança

Sobrecarregar a criança de tarefas pode trazer uma postura negativa

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando um grupo de mães se reúne para conversar, pode-se escutar de tudo. Que o filho de uma não dorme, outro que não come, outro que continua fazendo xixi na cama... Parece que tudo são problemas...

Uma das dúvidas e preocupações que têm os pais é sobre a postura negativa dos filhos.

Postura negativa das crianças

Quando as crianças só se negam a fazer qualquer coisa

Uma mãe nos conta que seu filho tem uma postura negativa sobre si mesmo e sobre tudo e todos que estão à sua volta, desde que se levanta até a hora de dormir. E que por mais que ela se empenhe em ajudá-lo, só consegue que o filho fique ainda mais negativo.

Quanto se educa, na verdade estamos dotando uma  criança de responsabilidades e de compromissos, como fazer os deveres, recolher os brinquedos, ser bom, comer bem ou arrumar a cama. São tarefas que exigem um esforço por parte da criança. Temos que vigiar para não exigirmos muito deles. Quando a gente se excede, a criança sente.

Se a criança não consegue dar conta de todas as tarefas, pode se sentir frustrada e incapaz, sentimentos que podem levá-la à negatividade. A criança pensará que por mais esforço que ela faça, não conseguirá atingir seus objetivos e começará a dizer NÃO a tudo e a todos. Vai começar a recusar sugestões, ideias, inclusive passeios, e a participar ou a cooperar em algumas atividades. Como o tempo, isso pode se converter em um mal hábito para ela e para os seus.

Conselhos para mudar a postura negativa de uma criança

Conviver com uma criança negativa requer muita paciência, compreensão e tolerância. Sobretudo com um manejo positivo da situação. Se você tem um filho com atitudes negativas, é bom seguir alguns conselhos:

1- Não se deixe ofender pelo NÃO do seu filho. Não confunda o NÃO com a falta de respeito. Seu filho só está lhe perguntando se realmente ele terá que fazer o que você solicitou. Use seu senso de humor para contornar a situação.

2- Não castigue seu filho por dizer NÃO. Não o castigue pelo o que ele diz, e sim pelo que ele faz. Não dê muita atenção à situação para não prolongar o assunto.

3- Ofereça outras opções ao seu filho. Que ele escolha entre ir ao cinema ou ao circo, do que brincar, que fruta comer, que roupa colocar... Isso lhe dará mais liberdade e controle de decisão.

4- Deixe claro ao seu filho que tem coisas que ele pode prestar conta e outras que não. Não lhe permita fazer perguntas quando só tem uma só resposta aceitável. É melhor lhe dizer: “sinto muito, mas você tem que fazer os deveres”, do que: “Se não fizer os deveres você vai ver!”.

5- Não exija mudanças drásticas de atitude. Antes de pedir que seu filho, que está brincando no pátio com seus amigos, que suba pra casa, diga-lhe que ainda restam 5 minutos para brincar.

6- Não seja muito exigente com seu filho. Não o sobrecarregue de muitas exigências. Evite a discussão excessiva. Motive-o positivamente.

7- Não tenha uma postura negativa com seu filho. Lembre-se que muitas das atitudes ou posturas que os filhos tem, boas ou más, vem dos seus pais, de como se portam diante das tarefas que enfrentam no seu dia a dia.

As crianças veem, imitam e muitas vezes de uma forma involuntária. Antes de taxarmos nossos filhos de mal educados, preguiçosos, indecisos, negativos, impulsivos ou rebeldes, seria bom que olhássemos para nós mesmos e refletíssemos sobre nossas atitudes.