Porque devemos defender os Direitos da Criança

Todas crianças deveriam gozar dos mesmos direitos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O dia 20 de novembro se celebra o Dia Universal dos Direitos da Criança. Nem todo mundo conhece essa data, nem sequer muitos sabem que ela existe, por isso poucos se lembrarão que há 21 anos, nesse mesmo dia, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Declaração dos Direitos da Criança. Reconhecer esse feito de que todas as crianças, independente da raça, religião, classe social, cor, país onde vive, tem direitos, faz com que vejamos as crianças como um ser integral, com necessidades básicas para poder viver.

Os direitos são seu escudo protetor e, portanto deveriam defendê-las das injustiças, dos abusos, do maltrato, da fome, do abandono, em todas as circunstâncias.

Os direitos básicos das crianças

Os direitos das crianças

É muito comum assistirmos pela imprensa falada e escrita imagens de crianças em países pouco desenvolvidos que tem que pegar água em qualquer lugar e comer o que se pode, dormir embaixo de ponte, tendo que trabalhar ao invés de ir á escola, brincar com seus amigos e com bonecas, carrinhos... É muito difícil explicar aos filhos, e fazê-los entender da sorte que tiveram em ter nascido em determinado lugar e ter uma família que lhes protejam, que lhes proporcionem todo o necessário para que eles vivam uma infância feliz e fazendo coisas de criança e não de adultos.

Todos, alguma vez, já ouvimos a típica frase: “Deixa que é só uma criança! Sim, só porque é uma criança, e principalmente por isso, temos que cuidá-las, mimá-las, e protegê-las de uma forma diferente dos adultos, seja de qualquer país, raça ou religião que professe. As crianças são seres inocentes que não tem suficiente maturidade para decidir ou conhecer quais seus direitos jurídicos, e muito menos, recorrer a eles em determinados momentos.

Fale com seu filho dos direitos que ele tem e ensine-o também a respeitar os direitos dos seus amigos, primos, irmãos ou companheiros de classe. Desde pequenos, as crianças tem que aprender que todos os meninos e meninas como elas têm direito a ter um nome e uma nacionalidade, a ter uma família que lhes cuide, dê carinho e lhes proporcione todo o amor que precisam, que tem direito a comer, a poder ir ao médico quando estiverem dodóis ou irem à escola e receber educação e conhecer uma cultura.

É muito importante que as crianças que nos cercam conheçam seus direitos, mas também que conheçam a realidade que não podemos dar as costas. São os pais, as mães, os educadores e quaisquer outros adultos que lhes rodeiam os responsáveis em explicar a todas as crianças que elas têm uma série de direitos e que elas têm que respeitar os seus semelhantes. As crianças, sejam de qualquer país, tem direito a uma alimentação adequada, a ter uma casa com as condições de higiene e limpeza necessárias, a uma atenção sanitária adequada e a brincar e se divertir ao invés de trabalhar. Afinal são crianças!