Benefícios dos ditados para as crianças

Por que é bom que as crianças façam ditados

Vilma Medina

Vilma Medina

Para falar bem é necessário escrever corretamente, e isso se consegue com muita leitura e muita prática sobre o papel. Quando alguém comete erros de ortografia, a recomendação geral é ‘ler mais’, mas isso também pode ser suprido com o ditado. 

Os ditados são uma das atividades de linguagem mais tradicionais em questão de docência e que consiste em que o aluno escuta ao professor relatar um texto e terá que reproduzir escrevendo-o com exatidão. Estes exercícios melhoram a capacidade auditiva das crianças, sua atenção e concentração e também ajudam com que a escrita e a ortografia tenham melhor qualidade.

Os benefícios dos ditados para as crianças

benefícios-dos-ditados-crianças A

 1. Melhora a atenção: Para que um ditado acabe de forma satisfatória não é somente que todas as palavras e as frases estejam escritas com correção e coerência, mas também é fundamental que a criança esteja atenta o tempo todo. Quando o professor ou o pai em questão vier a relatar as palavras ou frases e as crianças começarem a escrevê-las, elas terão que estar o tempo todo atentas de como se escreve o que a pessoa estiver ditando (pronúncia), o que melhorará a sua capacidade de atenção em todo o momento.

2. A concentração aumenta: No caminho da atenção, a concentração da criança também aumenta quando se está fazendo um ditado. Não só têm que estar atentos ao que o professor ou o pai estão ditando no momento, mas terão que empreender todo o seu esforço para poder se concentrar e saber como se escreve as palavras que estão dizendo. 

3. Melhora a ortografia: Quando uma palavra ou frase se escreve várias vezes, os erros vão diminuindo. Fazer exercícios contribui para que os erros de ortografia sejam cada vez menores. Quando uma palavra já foi escrita de forma incorreta, e logo depois corrigida, quando ela aparecer de novo no mesmo texto ou em outro ditado, a criança poderá detectar o seu erro e não voltar a cometê-lo. Além disso, conforme vão escrevendo palavras que tenham pareçam iguais, mas se escrevem diferentes, as crianças terão que fazer um esforço maior para saber como escrevê-las bem dentro do contexto da frase. 

4. Ajuda a melhorar a linguagem: Como a ortografia, a linguagem também se enriquece através dos ditados. Quando as crianças estão diante de descrições orais, além de tratar de escrever de forma correta a palavra ou frase em questão, também melhorará sua capacidade de escrita e de comunicação. Dessa maneira, a linguagem será mais completa conforme os ditados vão sendo praticados, porque aprenderão a dizer e a escrever novas palavras e expressões diferentes. 

5. Maior capacidade ativa: Um ditado é também bom para as crianças porque tem um bom ritmo. Isso quer dizer que, ainda que a exposição oral seja pausada, e não vá rápido demais e não se pode parar, as crianças devem estar acostumadas a manter sua atenção o tempo todo que a atividade durar.

6. Ajudam a auto-correção: Quando as palavras se repetem e aparecem certas combinações, as crianças poderão ter dúvidas quanto à ortografia. Ainda que no início se cometam erros e provavelmente voltem a acontecer durante as primeiras vezes, o esforço em ver as mesmas palavras ou similares que se escrevam igualmente as crianças saberá cada vez mais como se auto-corrigirem. Deste modo, conseguirão melhorar na ortografia e saberão detectar o erro após o ditado terminar.

7. Melhora a compreensão auditiva: Outro dos aspectos positivos do ditado é a melhora considerável da compreensão auditiva. Além da compreensão da leitura, as crianças devem desenvolver sua capacidade de audição para entender e compreender o que estão escutando. Saber traduzir num pedaço de papel o que se está escutando com exatidão e sem cometer falhas de ortografia é o êxito do ditado, que além do mais, faz um grande favor à capacidade auditiva das crianças, que decifrarão o discurso pausado do professor e o colocarão por escrito.

Marta Marciel

Redatora de GuiaInfantil.com

Tipos de desenhos segundo a idade da criança

Tipos de desenhos segundo a idade da criança

O desenho evolui paralelamente ao desenvolvimento da criança. O desenho não se ensina, sai de dentro da criança. Pode-se estimular um bebê de um ano e meio, por exemplo, deixando-o ter contato com algum lápis. Convém utilizar os de cera que tem a ponta arredondada e são mais gordinhos. Nessa idade, muitas crianças já poderão segurar um lápis e fazer seus primeiros rabiscos.

A criança que nasce destra ou canhota

A criança que nasce destra ou canhota

A criança que nasce destra ou canhota. O que determina uma criança canhota. Ser canhoto é uma questão genética? O que pode levar uma criança a ser canhota.

Dislexia infantil

Dislexia infantil

Dificuldades que apresentam a criança disléxica na escrita e na leitura. Entendemos como dislexia, as dificuldades para a aprendizagem da leitura e da escrita, mesmo quando a criança estiver sujeita a um ensino convencional, tenha um nível intelectual adequado e suas oportunidades sócio-culturais sejam as corretas.

A grafologia infantil

A grafologia infantil

A escrita das crianças diz muito delas mesmas. O que é grafologia? Para começar, a grafologia é a ciência que estuda as relações da escrita e a psicologia das pessoas, para fins distintos. Durante a infância, pode-se utilizar a grafologia para estudar a personalidade e o caráter das crianças, e conhecer algo mais dos seus pensamentos e sentimentos.

Aprender a ler e a escrever. Como iniciar as crianças na escrita

Aprender a ler e a escrever. Como iniciar as crianças na escrita

Aprender a escrever é fundamental. Antes de iniciar o ensino é necessário que a criança domine e controle seu corpo, seus movimentos, tenha destreza manual e seja capaz de deslocar a mão ou um traço no sentido desejado. Dicas de como ensinar ao seu filho a escrever.

0 comentarios