O momento ideal de ter outro filho

A difícil decisão de ter outro filho. Qual é o momento ideal?

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Qual é o momento ideal para ter outro filho? Chega um momento em que os pais se encontram diante da feliz escolha de ter mais um filho, e se perguntam: “Qual o momento ideal para ter outro bebê?”. Então surge outra interrogação: “Ideal para quem?”.

Geralmente a pergunta porque os pais temem que o filho não aceite outro irmãozinho ou irmãzinha, ou que a relação estreita que se tem com o primogênito se acabe e esse se sinta desprezado, ou que surjam sentimentos de rivalidade entre eles. 

A segunda gravidez

A segunda gravidez

O Doutor Brazelton, acredita que nenhum primogênito, menino ou menina, deseja a intromissão de mais alguém, por isso orienta que são os pais que devem decidir por si mesmos qual o momento de ter outro bebê. 

Para que o filho único aprenda a dividir e aceitar seu novo irmãozinho, os pais podem, segundo a idade da criança, dar tarefas prazerosas em benefício do bebê, como alimentá-lo, trazer fraldas para trocar, ajudar a carregá-lo, escolher a roupa e a vesti-lo. 

Quanto à rivalidade entre irmãos, deve-se levar em conta isso é normal e inevitável. Às vezes se diz que é na rivalidade que as crianças aprendem sobre as demais e sobre si mesmas, como se defender. 

Portanto, longe de se preocupar em proteger uma criança dos sentimentos de rivalidade, o ideal é ensiná-la a se sentir responsável pelo bem estar do irmãozinho menor e da família. Tudo isso é consequência de saber dividir com seu irmão, lembrando ao filho que uma das mais lindas maneiras de aprendizado é saber conviver bem com os outros. 

Cada filho tem uma personalidade diferente 

É preciso lembrar aos pais que é impossível tratar os filhos igualmente, já que cada criança tem uma personalidade diferente, e por isso precisa de cuidados diferentes. Portanto não deve haver sentimentos de culpa nos pais em respeito à diferença de sentimentos com os filhos, e eles tão pouco devem ter problemas com isso. 

Ainda que possa ser cansativo ter que se adequar a cada um, o importante é falar abertamente das diferenças, mas sem emitir juízos acerca delas para favorecer a situação. Isso acabará proporcionando um melhor conhecimento deles mesmos

Segundo o Doutor Brazelton, as crianças que recebem apoio dos pais, ainda que de diferentes maneiras têm melhores oportunidades de desenvolvimento. Se os pais valorizam a individualidade de cada criança e conseguem comunicar a elas as qualidades particulares de cada uma, elas se sentirão seguras e apoiadas. À medida que forem explicadas e entendidas, as crianças serão capazes de valorizar cada aprendizado

Claudia Lou Meda. Colaboradora de GuiaInfantil.com
Psicóloga Clínica. Orientadora Escolar