Como evitar estrias durante a gravidez

Conselhos e dicas para a prevenção de estrias durante a gravidez

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As estrias, essas manchas meio avermelhadas, azuladas ou meio brancas que parecem cicatrizes, e que aparecem nas mamas, coxas, quadris, abdômen e nádegas de algumas mulheres grávidas, permanecerão por toda a vida. Chegam a afetar cerca de 90 por cento das gestantes.

Essa vilã das gestantes têm assustado muitas mães de primeira viagem e aquelas que já tiveram filhos. O aparecimento de marcas de coloração branca são definitivas no corpo durante a gravidez.

Como prevenir e evitar as estrias na gravidez

Como evitar las estrías durante a gravidez

Existem algumas formas que a mulher pode adotar para evitar ou prevenir o aparecimento de estrias na sua pele durante a gravidez. É importante que a mulher:

- Evite o efeito sanfona, engordar e emagrecer bruscamente.

- Beba bastante água para deixar o corpo bem hidratado.

- Evite o estresse durante a gravidez.

- Consuma alimentos ricos em vitamina C, que estimula a produção de colágeno e proteínas.

- Use cremes hidratantes, que são aliados eficazes nessa luta, pois possuem substâncias que ajudam na regeneração da pele. Produtos que contenham em sua fórmula uréia (máximo 3 por cento), lactato de amônia, colágeno, elastina, vitamina E...  os óleos vegetais são recomendados antes da gravidez e durante a gravidez.

Apenas um alerta: mesmo que a mamãe já tenha utilizado algum creme ou óleo antes da gravidez, é importante perguntar ao médico para saber se há alguma substância na sua fórmula que possa prejudicar o desenvolvimento da gravidez.

- As roupas íntimas devem ser confortáveis, ajudando na prevenção das estrias. Os sutiãs devem ser reforçados, suportando o crescimento e o peso que aumentam significativamente durante a gestação.

Como tratar as estrias na gravidez

O tratamento tem como objetivo melhorar a aparência e aspecto estético. As várias técnicas de tratamento de estrias, como dermoabrasão, intradermoterapia, peeling, subcisão, uso contínuo de alguns tipos de ácidos, visam estimular a formação de tecido colágeno nas lesões.

Tais tratamentos são procedimentos médicos e, portanto, só devem ser realizados sob orientação de um profissional qualificado, e a maior parte deles só poderá ser realizado após o período de amamentação.