Riscos da anestesia peridural no parto

Quais são as contraindicações da anestesia peridural

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A dor de parto é um tema que preocupa muitos profissionais relacionados com o processo do parto. No decorrer da história da obstetrícia moderna foram utilizados diferentes remédios para aliviá-lo (intravenosos, inalados, etc.) Dentre eles o que se mostrou mais efetivo em relação ao risco/benefício, é a anestesia peridural. 

No entanto não é uma técnica isenta de riscos ou complicações, já que não devemos nos esquecer de que é uma introdução de uma agulha no espaço peridural (sistema nervoso), através do qual introduzimos diferentes drogas que por sua vez podem provocar efeitos não desejados. 

Contraindicações da anestesia peridural 

Os riscos podem derivar tanto da punção em si, como dos efeitos próprios das drogas no organismo da mãe e do bebê. 

As complicações que podem aparecer incluem um amplo leque, que vão desde as pouco frequentes e potencialmente perigosas, às muito comuns.

Dentre as mais frequentes podemos destacar as seguintes: 

- Hipotensão arterial da mãe: a queda da pressão arterial não só produz mal estar na mulher, como também pode produzir uma bradicardia no bebê (que se denomina risco de perda do bem estar fetal). Para normalizar, geralmente aplicam-se mais fluidos intravenosos na mulher. 

- Desaceleração do processo do parto ou detenção do mesmo: uma porcentagem muito alta das mulheres que optam por esse tipo de anestesia, precisará da administração de ocitocina intravenosa. 

- Perda da capacidade para empurrar: muitas vezes a anulação da dor, traz consigo uma perda na sensibilidade. As mulheres não sabem em que direção empurrar, pois não sentem a pressão da cabeça do bebê. 

- Cefaleia pós-punção (dores de cabeça). Elas podem se manifestar quando a agulha passa do espaço peridural e podem durar até uma semana. É recomendável beber água, e estar deitada todo o tempo possível. 

- Perda da sensibilidade na bexiga. A maioria das mulheres com peridural necessitará de sondas vesicais intermitentes para ir esvaziando a bexiga durante o parto. 

- Calafrios. Podem sentir calafrios durante o trabalho de parto e depois do mesmo. 

- Dores na área da punção. Isso acontece porque a agulha atravessa várias capas de músculo. 

- Falhas da anestesia peridural: não se sabe o motivo, mas em algumas mulheres não faz efeito, ou acontece que a anestesia se concentre na zona não dormida. Pode-se mover o cateter ou voltar a tentar a punção. 

Sara Cañamero de León