O papel da família de crianças com epilepsia

O que os pais devem fazer diante de uma crise epiléptica da criança

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A epilepsia é uma doença que obedece aos tratamentos e que permite uma criança levar uma vida normal com medicação. Ainda assim, a sociedade vê os afetados por este transtorno como pessoas estranhas. O papel da família no tratamento desse transtorno é fundamental e o êxito do tratamento de uma criança epiléptica depende, em grande parte, dos seus pais. Por isso, os pais devem falar abertamente com eles sobre este transtorno, sempre com mensagens positivas.

Como agir diante uma crise epiléptica?

o-papel-da-família-crianças-epilepsia A

A maior parte das crises epilépticas dura somente alguns segundos ou minutos. Quando a criança sofre de uma crise convulsiva, a primeira coisa que os pais devem fazer é manter a calma e não desesperar. Seguir os seguintes passos vai te ajudar: 

1. Fique com a criança até que a crise passe.

2. Colocar algo plano, estável e não excessivamente mole, embaixo da sua cabeça.

3. Proteja-a de qualquer lesão, afastando-a de qualquer perigo (escadas, água, etc.). 

4. Mantenha-a em um lugar seguro, retirando qualquer objeto duro, que possa cortar ou perfurar do seu lado. 

5. Posicione a criança de lado para que as vias respiratórias fiquem livres. Assegure-se que a criança respire adequadamente e que esteja cômoda. 

6. Desabroche a roupa na área do pescoço da criança.

7. Aplique sua medicação. Se a criança apresentar episódios críticos, aplique a medicação retal indicada pelo médico. Se a criança não responder, leve-a ao médico.

O que NÃO se deve fazer no caso de uma crise epiléptica?

- Não procure deter os movimentos convulsivos da criança.

- Não segure nem busque imobilizá-lo a não ser que exista algum perigo imediato. 

- Não dê à criança algum medicamento nem nada para beber até que esteja desperta e consciente.

- Não abra a boca da criança nem introduza nada nela.

- Não tente realizar reanimação nem respiração assistida a menos que a criança deixe de respirar uma vez a crise tenha terminado. 

O que fazer quando a crise terminar? 

- Console e tranquilize a criança.

- Ajude a criança a se familiarizar com o lugar onde ela se encontra.

- Utilize o ‘Diário da crise’ para anotar nele quando começou e quando ela terminou para entregá-lo ao médico na próxima consulta. 

Fonte consultada:

- Guia de cómo vivir con epilepsia (Guia de como viver com epilepsia).

- VivirMejor.es.