Dicas para evitar resfriados em bebês e crianças

Conselhos para evitar o contágio de resfriados entre as crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O contágio dos vírus dos resfriados é disseminado rapidamente entre crianças e bebês, já que são transmitidos facilmente pelo contato, ou seja, através das mãos e de maneira oral quando tossem ou espirram.  Além disso, aproveitam-se do esfriamento das mucosas quando faz frio para entrar no organismo através das fossas nasais. Conhecer quais são as dicas para evitar resfriados em crianças e bebês pode evitar mal estar em crianças entre três semanas e 2 meses. 

A evolução dos resfriados nas crianças

Resfriado em bebÊs e crianças

O resfriado é uma condição do aparelho respiratório causado por um vírus. Geralmente afeta as vias altas. Essa enfermidade é uma das mais comuns, sobretudo nos meses frios. As crianças costumam se resfriar entres três e oito vezes por ano. A duração de cada resfriado pode ser de aproximadamente de uma semana, o que nos leva a pensar que um bebê ou uma criança pode ficar resfriado de três semanas a uns dois meses por ano.

No entanto, ainda que a maioria dos resfriados é decorrente dos vírus, em algumas ocasiões podem se complicar se alguma bactéria oportunista aproveita a queda de defesas que se produz quando o organismo está lutando contra o vírus invasor do resfriado. As complicações mais comuns dos resfriados nos bebês são a bronquiolite e a pneumonia, e nas crianças, as bronquites e as pneumonias

Como evitar que as crianças se resfriem

Nada melhor que prevenir para que as crianças se resfriem. A equipe médica do Hospital Nisa Pardo de Aravaca, em Madrid, lançou recentemente uma série de conselhos e recomendações que vão evitar que as crianças se resfriem com tanta frequência: 

1. Beber bastante líquido. 

2. Evitar as mudanças bruscas de temperatura. 

3. Manter as mãos limpas. 

4. Ventilar os espaços fechados.

5. Cuidar da alimentação e introduzir alimentos que contenham vitamina C (como laranjas, limões ou kiwis). 

6. Manter os pés aquecidos.

7. Conseguir um ambiente úmido. Se for necessário usar um umidificador. 

8. Lavar bem os brinquedos

9. Ensinar a criança a espirrar tapando a boca para evitar contágios. 

10. Passar tempo ao ar livre para evitar a concentração de vírus. 

No caso de complicação é sempre necessário procurar um pediatra.

Fonte consultada:
Hospital Nisa Pardo Aravaca, em Madrid