Cirurgia de lábio leporino ou fenda palatina

Para a cirurgia, o médico terá que considerar a idade, a saúde, o histórico médico e a anomalia que o bebê apresenta

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Em todos os casos de lábio leporino e de fenda palatina, será necessária a intervenção integral de uma equipe de especialistas para uma cirurgia. Uma fenda, por pequena que seja precisa ser fechada.

No primeiro contato com o cirurgião plástico, os pais serão informados dos passos para a cirurgia, os riscos, complicações, custos, tempo de recuperação e dos resultados. Para uma tomada de decisão quanto ao tratamento e/ou cirurgia, o médico considerará a idade do bebê, seus estado geral de saúde, seu histórico médico, as qualidades específicas da anomalia, a tolerância do seu bebê a certos medicamentos e também da opinião dos pais.

O Brasil conta com um dos melhores centros do mundo para tratar as deformações provocadas por lábio leporino e fenda palatina.  E ainda por cima é gratuito, o Hospital de Reabilitação de Anomalias Cranofaciais da Universidade de São Paulo, mais conhecido como Centrinho, em Bauru-SP. Para mais informações entre no site: http://www.centrinho.usp.br/

Cirurgia de lábio leporino em crianças e bebês

A maioria dos bebês que tem somente lábio leporino, a anomalia (separação do lábio) pode ser reparada nos primeiros meses de vida. Às vezes é necessária uma segunda operação. É normal que depois dessa cirurgia o bebê se mostre irritado, mas seguramente o médico adotará medidas que o ajude a superar esse problema, principalmente para impedir que se esfregue a área dos pontos de sutura e da cirurgia.

Os pontos se dissolverão por si sós ou serão extraídos em cinco o sete dias, e a cicatriz vai se atenuando gradualmente. Os pais também receberão orientações de como alimentar o bebê durante o pós-operatório.

O lábio superior e o nariz do seu bebê terão pontos de sutura na área que se reparou o lábio leporino. É normal que apresente um pouco de inchaço, manchas roxas e sangue ao redor dos pontos, no princípio, e que sinta ligeira dor, que será aliviada com medicamentos prescritos pelo médico.

Cirurgia da fenda palatina em bebês e crianças

Normalmente, uma cirurgia de fenda palatina acontece entre os 9 e 18 meses de idade, e antes dos dois anos, devido ser mais complicada e pode causar mais incômodos que a cirurgia de lábio leporino. Além do que é provável que seu filho não coma nem beba como antes e terá que dedicar-lhe mais tempo e atenção para a sua recuperação. Em alguns casos, se utiliza um cateter endovenoso para administrar líquidos até que possa beber normalmente.

Nessa intervenção o cirurgião fará uma reparação do palato (ou céu da boca) de forma que seu filho possa comer e aprender a falar normalmente. Às vezes é necessária reparo uma segunda operação. Seu filho terá pontos de sutura no palato aonde se reparou a fenda, que se dissolverão depois de vários dias. Em alguns casos se colocará uma compressa cirúrgica no palato. Pode ser que no princípio, apresente drenagem sanguinolenta pelo nariz e pela boca, que diminuirá durante o primeiro dia. A área operada apresentará inchaço, que diminuirá em uma semana, e seu filho se queixará de incômodos durante dois ou três dias, que serão remediados pelo médico. 

As crianças e bebês depois da cirurgia de lábio leporino e/ou fenda palatina

É aconselhável que os pais saibam do que pode acontecer após a cirurgia do seu filho. É comum, por exemplo, que o bebê mostre sinais de congestão nasal, seguidas de ronquidos, respiração pela boca, bem como apresente inapetência quanto à alimentação. O médico determinará quanto tempo (de um a três dias) o bebê permanecerá no hospital e que antibióticos ele prescreverá para evitar possíveis infecções.

Também será o médico quem decidirá que dieta o bebê deverá seguir após a cirurgia. Se seu filho é ainda um bebê, deve receber uma dieta branda durante os primeiros 7 a 10 dias, ou seja, leite materno diretamente do peito, com mamadeiras ou um copinho. Se o seu filho é um pouco maior, seguramente receberá alimentos brandos apropriados para a sua idade.

A atividade física segue sendo importante inclusive depois da cirurgia. A criança poderá caminhar ou brincar tranquilamente, sem abusar dos esforços, é claro.

Depois da cirurgia, o acompanhamento médico será ainda mais importante. Será necessária a combinação de esforços entre os especialistas e a família do bebê ou criança para que haja um devido controle do estado de saúde geral da criança. E se por acaso, a mãe pretenda ter outro filho é conveniente recorrer a uma assessoria genética para que lhe aconselhe sobre o risco de recorrência da mesma anomalia nas futuras gestações.