Por que existem crianças que falam em sonhos

A capacidade de algumas crianças de falar em sonhos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

São muitos os adultos que falam em sonhos enquanto dormem, e é algo também acontece com crianças. Devido aos ciclos do sono, a uma atividade cerebral sem descanso e aos tipos de sonhos que temos ao longo da noite, as conversações podem acontecer em tempo real. O soniloquismo é o nome que recebe a capacidade de falar quando se está completamente dormido, e se estabelece uma conversação inconsciente em que não controlam as palavras. A gente descobriu por que algumas crianças falam sozinhas durante o sono. 

O soniloquismo ou as crianças que falam enquanto dormem

por-que-existem-crianças-que-falam-em-sonhos A 

Algumas crianças podem ser sonâmbulas, ou seja, que desenvolvem atividades quando estiverem dormindo, e que são capazes de caminhar ou realizar atos que farão com normalidade se estivessem despertos. Para as crianças que têm esse transtorno do sono é algo incontrolável, e não devem ser despertadas, porque poderiam sofrer um sobressalto, assim que o melhor é falar-lhes em voz baixa e com muita delicadeza e carinho tratar de reconduzir-lhes à cama eliminando objetos que pudessem se prejudicar, ou afastando-as de áreas perigosas como as janelas. 

No entanto, as crianças que falam sozinhas não têm por que ser necessariamente sonâmbulas. Por causa da fase REM do sono cuja atividade é muito intensa se estabelecem uma série de imagens oníricas transitórias, através das quais as cordas vocais recebem a ordem desde o cérebro de dizer em voz alta o que está sucedendo no sono em questão. 

Isso não é um problema, mas uma característica de algumas pessoas cuja atividade cerebral é mais frenética do que de outras. Isso quer dizer que se teriam a capacidade de falar de forma pontual em sonhos, mas não se levantam a andar ou a fazer qualquer tipo de atividade fariam quando despertos. As causas de falar em sonhos poderiam ter a ver com a genética, uma herança dos pais, ou que a criança esteja vivendo momentos de estresse ou ansiedade causados por mudanças na sua vida diária, que poderiam se traduzir na rapidez na hora de dormir e se expressar.