Crianças que roncam

Quatro de cada cem crianças com idade entre dois e oito anos roncam

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O ronco é um ruído respiratório forte, rude ou agudo, que ocorre durante o sono e é produzido pela vibração da parte posterior do palato. Quatro de cada cem crianças com idade entre dois e oito anos roncam, segundo últimas pesquisas.

Além disso, uma em cada dez crianças que roncam têm apneia do sono, caracterizada pela interrupção frequente da respiração durante o sono, segundo o membro da Sociedade Espanhola de Pneumologia e Cirurgia Torácica, Antonio Salcedo.

As causas do ronco infantil

Crianças que roncam

Muitos adultos começaram a roncar na infância, inclusive desde o primeiro mês de vida. Se o seu bebê é pequeno e começou a roncar, é importante que escute seus roncos, observe suas frequências e esteja atento a outros sintomas.

Algumas crianças roncam ocasionalmente e outras são roncadoras crônicas. As causas não estão totalmente definidas. 

O ronco é sinal de alguma dificuldade respiratória, normalmente das vias aéreas superiores (nariz ou garganta). Esse ruído é ocasionado pela dificuldade da passagem de ar através das estruturas que compõem a via respiratória. Os roncos podem estar relacionados com uma obstrução das vias respiratórias. 

O ronco pode ser ocasionado por um excesso de peso, o que faz com que o tecido excessivo do pescoço pressione as vias respiratórias. Podem estar relacionados aos resfriados, ou casos de alergias crônicas e também por uma inflamação das amídalas que provoca a obstrução das vias respiratórias.

O uso de anti-histamínicos ou de alguma outra pastilha, sem a prévia consulta médica, na hora de dormir também pode provocar o ronco.

A apneia do sono

Uma em cada dez crianças que ronca, apresenta apneia do sono, caracterizadas por pausas temporais da respiração e uma das causas mais preocupantes do ronco.

A pessoa experimenta períodos sem respiração de mais de dez segundos enquanto dorme. Isso se pode repetir várias vezes durante a noite. Pode provocar dificuldade para comer, diminuição da memória, das habilidades e da concentração. No entanto, pela falta de oxigênio, os riscos são associados a problemas cardíacos, quando se faz necessária uma intervenção médica.

Consequências do ronco infantil

No XXI Congresso da Sociedade Espanhola de Pediatria Extra Hospitalar e Atenção Primária, que aconteceu em Barcelona em 2007, os especialistas alertaram que as crianças que roncam podem perder até onze pontos do seu coeficiente intelectual, o que pode afetar seu rendimento escolar.

Atualmente 12% das crianças roncam e a metade tem incontinência urinária quando dorme. Além disso, as apneias do sono triplicam o risco de sofrer de hiperatividade e um transtorno de déficit de atenção. Outra consequência é o baixo peso e altura, já que as crianças suam e consomem mais calorias durante a noite, porque fabricam menos hormônio de crescimento.

Tratamento do ronco infantil

As crianças que roncam têm problemas de saúde. As apneias obstrutivas do sono alteram a vida escolar da criança porque dentre outras coisas, a impede de se concentrar durante o dia. São crianças que podem se mostrar muito excitados, nervosos. O tratamento do ronco começa com um diagnóstico médico.

Caso você note que o ronco do seu filho é persistente, não permita que isso se prolongue mais. O médico indicará uma solução para o problema. Quanto antes solucionar, melhores serão os resultados. O diagnóstico será dado de acordo com a idade da criança, seus hábitos, e a persistência do ronco. Se é algo pontual, no caso de um resfriado ou alergia, será tratado. Caso observe que é uma consequência de sobrepeso, será indicada uma dieta para a criança.

Se o ronco chega a interromper muitas das horas de sono da criança fazendo com que durante o dia ela sinta muita sonolência, dores de cabeça e cansaço, deve-se fazer um estudo mais profundo. O mesmo ocorrerá se a criança apresenta apneia do sono. O ronco crônico deve ser avaliado e tratado o quanto antes para evitar problemas de crescimento, aprendizagem, escolares, etc.

Fontes consultadas:

Médicos do Equador - Consumer.es - Medline plus - Respiración oral y ronquido infantil, Dr. Germán Pablo Sandoval, M.D.