A auto-estima e as crianças

A auto-estima é um fator básico na formação pessoal e emocional das crianças

A auto-estima é um fator básico na formação pessoal das crianças. A auto-estima, é um tema que desperta a cada dia um grande interesse, não só dos psicólogos, mas também dos pais e mães. É uma preocupação presente em muitas casas e conversações. E isso pode-se entender pela relação que está tendo a auto-estima com problemas como a depressão, anorexia, timidez, abuso de drogas e outros.

Alguns especialistas afirmam que uma baixa auto-estima pode levar uma pessoa a ter esses problemas, além do que uma boa auto-estima pode fazer com que uma pessoa tenha confiança em suas capacidades, não se deixe manipular pelos demais, seja mais sensível às necessidades do outro, e entre outras coisas, que esteja disposta a defender seus princípios e valores.

O que é auto-estima?

A auto-estima das crianças

É importante que os pais não se preocupem somente em manter uma boa saúde física dos seus filhos, e que observassem e prestassem mais atenção à saúde emocional dos mesmos. A falta de saúde emocional pode desencadear em problemas físicos do mesmo modo que os físicos (sem tratamento) podem alterar o emocional das crianças. A auto-estima é uma peça fundamental na construção eficaz de uma infância e adolescência.

Se pode definir a auto-estima de diversas formas, mas seu contexto continuará sendo o mesmo. A auto-estima é a consciência de uma pessoa do seu próprio valor, o ponto mais alto do que somos e de nossas responsabilidades, com determinados aspectos bons e outros que podem ser aperfeiçoados, e a sensação gratificante de nos gostarmos e nos aceitarmos como verdadeiramente somos, e com nossas relações. É nosso espelho real, o qual nos ensina como somos, que habilidades temos, através de nossas experiências e expectativas. É o resultado da ralação entre temperamento da criança e o ambiente em que ela se desenvolve.

A auto-estima é um elemento básico na formação pessoal das crianças. Disso dependerá seu desenvolvimento na aprendizagem, nas boas relações, nas atividades, e por que não dizer, na construção da felicidade. Quando uma criança adquire uma boa auto-estima, ela se sentirá competente, segura e valiosa. Entenderá que é importante aprender, e não se sentirá diminuída quando precisar de ajuda. Será responsável e se comunicará com fluência, e se relacionará com os outros de forma adequada.

Criança com baixa auto-estima

Por outro lado, a criança com baixa auto-estima não confiará nas suas próprias possibilidades nem nas dos demais. Sentir-se-á inferior diante de outras pessoas, e portanto se comportará de forma mais tímida, mais crítica, com pouca criatividade, o que em muitos casos poderá levar a condutas agressivas, e a afastar-se dos seus companheiros e familiares.

A auto-estima não é uma matéria escolar. Mas deve ser um espaço jamais ignorado pelos pais e professores. Devem estar atentos ao lado emocional das crianças. Durante a etapa desde o nascimento à adolescência, por sua vulnerabilidade e flexibilidade, busque melhorar a auto-estima do seu filho. Tudo o que se consegue neste período pode selar sua conduta e sua postura diante da vida, na idade adulta.

  • A baixa auto-estima infantil
    A baixa auto-estima infantil

    A baixa auto-estima nas crianças. O ambiente familiar é o fator que mais influencia na auto-estima das crianças. Constantemente nossa auto-estima se vê afetada pelas experiências e exigências que recebemos do mundo exterior. A sociedade exige que nos moldemos e que sigamos padrões de comportamentos, escolhas, iguais aos da maioria.

    • Problemas de auto-estima nas crianças
      Problemas de auto-estima nas crianças

      Como se manifestam os problemas de auto-estima em uma criança? Como saber se meu filho tem problemas de auto-estima nos filhos? Como detectar comportamentos que sejam mostras de baixa auto-estima nos meninos y nas meninas.

9 comentários

  • D
    DANIELA

    11/05/2011 14:38

    :)TENHO UMA FILHA DE 2 ANOS E 3 MESES ELA NAO SE DEFENDE DOS AMIGOS DA ESCOLA.

    Avaliar
    Responder
  • n
    nicole

    08/02/2011 17:30

    quero alugar meu utero...sigilo total...
    [email protected]

    Avaliar
    Responder
  • F
    Fred

    27/01/2011 11:59

    Para ensinar seu bebê a andar

    Avaliar
    Responder
  • R
    ROSEMEIRE PEREIRA DOS SANTOS

    02/01/2011 11:23

    lI EM UM DOS ARTIGOS DESTE SITE, POR SINAL, MTO BEM FEITO SOBRE ADOÇÃO. ESTOU COM UM BB A 2 ANOS E MEIO , HOJE ELE TEM 4 ANOS, SUA MÃE O ABANDONOU , DEPOIS DE TODO ESTE TEMPO ELA RETORNA E DIZ Q QUER LEVAR O BB DE VOLTA.COMO DEVO PROCEDER? PRECISO MTO DESTA INFORMAÇÃO, ME ENVIE POR EMAIL, POR FAVOR: [email protected]

    Avaliar
    Responder
  • e
    eslaine 24/12/2010 sou de santos.

    24/12/2010 10:28

    pois é sou de santos pretendo achar uma familia estabilizada para poder dar o que eu não tenho condiçãos de dar quero uma vida melhor para esse bebe não sei ainda o que é mais já tenho 3 filhos já é mo dificuldade de criar sei que muitos vam me criticar mais é o melhor que posso fazer quem tiver interesse de de quere adotar entra em contato comigoou pelo tel:13-97611623 ou pelo13-32995162 ou pelo msn de [email protected]

    Avaliar
    Responder
  • j
    juliana

    09/12/2010 04:05

    :-*Oi meu nome é juliana tenho 18 anos sou casada a 3 anos e nâo consigo em gravida já tentei de varias formas mais nâo consegui o que eu devo fazer eu e meu marido estamo morrendo de vontade de ser papai e mamaê e agora ?:(:(

    Avaliar
    Responder
  • A
    Andréa

    15/07/2010 06:43

    Tenho um filho de 9 anos que é uma criança maravilhosa.
    Meu casamento esteve por crise uns 10 anos. Quando eu engravidei dele e da irmã o pai sempre foi muito ausente , tinha varias amantes , meu casamente era um horror. Eu estava muito atordoada , filhos pequenos , tinha perdido o meu pai , meu irmao mais velho tambem falecera, eu mudei da cidade do Rio para Sao Paulo , trabalhava , larguei o emprego , ou seja um verdadeiro caos. O tempo foi passando e toda vez que meu filho sofria alguma agressao com algum amigo eu e meu esposo sempre falava que nao podia bater no amigo. Hoje vejo que erramos muito pois meu filho já sofreu bulling na escola , e continua apanhando sem reagir.Colocamos ele no taekendoo mas de pouco adiantou.A minha sensação é que como o pai foi muito ausente e foi a minha imagem de mãe que ele sempre teve como exemplo eu ficou como eu , forte , mas sofre e não reage. Acaba perdoando.O pai é muito egoista acha que a culpa é toda minha.Ainda estamos casados,tento recuperar o meu casamento apesar das dificuldade que ainda enfrento mas tenho ficado muito muito preocupada com o fato do meu filho continuar sem se defender.Tento valorizá-lo mostra-lo o quanto eu o amo,ele é inteligente,bonito,etc,mas o pai fala que ele esta gordo,fala que ele esta com uma barriga enorme,nao da atençao a ele e a irma,fica na internet,televisao,play station, etc.
    Não quero ver mais o meu filho sofrendo.Não so ele mas eu estou precisando de ajuda.O que devo fazer?

    Avaliar
    Responder
  • p
    pedro viera

    01/07/2010 09:10

    :'(:-*:P

    Avaliar
    Responder
  • R
    ROSANGELA

    01/06/2010 16:46

    legal gostei desse email sei que pode ajudar varias pessoas!

    Avaliar
    Responder

Página: 1 de 1 (9 Artigos)