8 dicas para despertar a felicidade nas crianças

Como educar e potencializar a felicidade no dia a dia dos filhos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Conseguir que nossos filhos sejam felizes é uma das nossas principais metas, ainda que nem sempre seja fácil consegui-lo. Tornar um menino ou uma menina feliz deve ser o propósito dos pais, assim como dos professores e de toda a sociedade. Seu filho é feliz? 

O que incentiva a felicidade nas crianças

Feliz dia da felicidade para as crianças

Como despertar a felicidade nas crianças. Bem estar, despreocupação e tranquilidade são algumas situações que podem definir muito bem a felicidade. 

Para a psicóloga Silvia Álava, 50 por cento da felicidade se deve a fatores genéticos, 10 por cento pelas circunstâncias vividas, e 40 por cento da atividade emocional que podemos aprender a controlar para sermos felizes. Ou seja, felicidade também se aprende. 

Baseando-se em estudos da Dra. Sonia Lyubomirsky e Maria Jesús Álava Reyes, a psicóloga desenvolveu uma série de atividades rotativas apoiadas por normas básicas que ajudam a despertar a felicidade nas crianças. 

Como aprender a ser feliz

O trabalho propõe incentivar a gratidão, a amabilidade, o trabalho em equipe, a comunicação, integridade e fazer atividades com os filhos. Além disso, durante as atividades é aconselhável reproduzir vídeos infantis e didáticos sobre os conselhos para despertar a felicidade nos pequenos. Para o projeto, são oito dicas para a felicidade infantil: 

- Ser amável. Crianças amáveis experimentam mais satisfação e energia, são mais carinhosas e agradáveis e gozam de aceitação social. 

- Ser agradecido. A gratidão favorece a estabilidade mental e enriquece o crescimento das crianças. As crianças valorizam mais o que têm e o que a rodeia. 

- Ser positivo. As crianças educadas num meio positivo são mais seguras e acreditam mais em si mesmas. Têm maior controle da sua mente. 

- Não rotular. Deve-se evitar rotular às crianças. Dizer-lhes: 'você é mau', 'você é um chorão', predispõem a criança a moldar sua atitude para se encaixar nesse perfil. 

- Não dramatizar. Devemos dar um valor justo às coisas e às situações. Devemos extinguir condutas como bater, insultar ou faltar com o respeito. 

- Êxito pessoal. As crianças são mais felizes se conseguem seus objetivos pelos seus próprios méritos. Devemos animá-las nesse sentido. 

- Autonomia. Estimular a independência das crianças aumentará sua autoestima e sua segurança em si mesmas. 

- Inteligência emocional. As crianças devem aprender a controlar e regular suas emoções para resolver os problemas de maneira pacífica. Isso gera tranquilidade e harmonia no seu caráter. 

Vilma Medina
Diretora de GuiaInfantil.com