As emoções da criança: do riso às lágrimas

Estimule a inteligência emocional do seu bebê

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Você deve ter notado que o seu bebé pode ir do riso às lágrimas em um curto período de tempo e com muita facilidade. A razão para estas mudanças de humor surpreendente é que as emoções do recém-nascido são caracterizadas por se manifestarem com muita intensidade e com uma freqüência muito alta, o que vai diminuindo com a idade, à medida em que o bebê vai dispondo de mecanismos tranquilizadores, que faz parte do seu processo de maturidade.

O uso inteligente das emoções no bebê

As emoçoes dos bebês

Essas estratégias de auto-tranquilização são geralmente associadas com as rotinas que são agradáveis, como chupar o dedo ou abraçar seu ursinho, mas exigem um grau de maturidade e são o resultado de uma evolução emocional. O desenvolvimento dessas estratégias tranquilizadoras vai levar ao uso inteligente das emoções e são as sementes da capacidade de uma pessoa de ter uma resposta adequada a determinadas situações.

Comunicação positiva com o bebê

O choro é a primeira forma de comunicação dos pais com o bebê e acaba se tornando no sinal prioritário para chamar a atenção. Geralmente, quando deixa de chorar é porque o pegamos no colo. A impressão que ele tem é que quando chora tem mais a nossa atenção do que quando não o faz. Estudos recentes revelam que devemos evitar que o choro seja a única via de comunicação com o bebê, associando-o mais com a comunicação positiva.

Os beijos, os abraços, as carícias, as palavras, as canções e as brincadeiras compartilhadas fazem parte dessa comunicação positiva. Mas os bebês nem sempre se mostram igualmente receptivos, e por isso é importante saber quando e como realizá-los. Responder adequadamente às suas necessidades e considerar sua disposição para prestar atenção à comunicação e às brincadeiras é fundamental para o desenvolvimento positivo da inteligência emocional do bebê. Se tiver sono ou de mau humor não insista e deixe as brincadeiras para outro momento.

Estimule a inteligência emocional do bebê

Os recém-nascidos passam por volta de nove horas dormindo durante o dia e cerca de oito horas durante a noite, com diferentes intervalos para se alimentarem. Se estiver atenta, quando o bebê despertar, poderá contribuir para reforçar o vínculo afetivo com seu filho e ajudá-lo a construir um correto desenvolvimento emocional. Durante a vigília, os bebês passam por etapas de atividade e expressão emocional:

1. Alerta tranquilo. Momento do despertar. Ele vai ficar quieto, observando tudo ao seu redor. Sua respiração será regular e vai parecer estar tranquilo e satisfeito. Aproveite esse momento para dar-lhe “bom dia” com alegria. Encha esses momentos de sensações prazerosas e ele responderá aos seus movimentos e sons te olhando nos olhos.

2. Alerta ativo. Ele se interessará pelos objetos visuais e pelos estímulos auditivos e tentará responder aos sons. Pode até ser que ele tente te imitar e brincar contigo. Mexerá os braços e as pernas, e girará o pescoço para ver o que ocorre ao seu redor. Você pode surpreendê-lo com brinquedos de cores vistosas. Anime-o com seu brinquedo ou bichinho favorito ou explore movimentos novos com ele.

3. Choro. Nessa terceira fase, ele se mostrará cansado. Satisfaça suas necessidades de higiene e alimentação e acalme-o segurando nos braços para que se sinta seguro.

4. Sono. Ele esfregará os olhos, bocejará e talvez fique um pouquinho nervoso. É preferível que tente conciliar o sono por si mesmo durante essa etapa sonolenta. Se passar algum tempo e ele não consegue dormir, nine-o até que adormeça.