As emoções da criança: do riso às lágrimas

Estimule a inteligência emocional do seu bebê

Você deve ter notado que o seu bebé pode ir do riso às lágrimas em um curto período de tempo e com muita facilidade. A razão para estas mudanças de humor surpreendente é que as emoções do recém-nascido são caracterizadas por se manifestarem com muita intensidade e com uma freqüência muito alta, o que vai diminuindo com a idade, à medida em que o bebê vai dispondo de mecanismos tranquilizadores, que faz parte do seu processo de maturidade.

O uso inteligente das emoções no bebê

As emoçoes dos bebês

Essas estratégias de auto-tranquilização são geralmente associadas com as rotinas que são agradáveis, como chupar o dedo ou abraçar seu ursinho, mas exigem um grau de maturidade e são o resultado de uma evolução emocional. O desenvolvimento dessas estratégias tranquilizadoras vai levar ao uso inteligente das emoções e são as sementes da capacidade de uma pessoa de ter uma resposta adequada a determinadas situações.

Comunicação positiva com o bebê

O choro é a primeira forma de comunicação dos pais com o bebê e acaba se tornando no sinal prioritário para chamar a atenção. Geralmente, quando deixa de chorar é porque o pegamos no colo. A impressão que ele tem é que quando chora tem mais a nossa atenção do que quando não o faz. Estudos recentes revelam que devemos evitar que o choro seja a única via de comunicação com o bebê, associando-o mais com a comunicação positiva.

Os beijos, os abraços, as carícias, as palavras, as canções e as brincadeiras compartilhadas fazem parte dessa comunicação positiva. Mas os bebês nem sempre se mostram igualmente receptivos, e por isso é importante saber quando e como realizá-los. Responder adequadamente às suas necessidades e considerar sua disposição para prestar atenção à comunicação e às brincadeiras é fundamental para o desenvolvimento positivo da inteligência emocional do bebê. Se tiver sono ou de mau humor não insista e deixe as brincadeiras para outro momento.

Estimule a inteligência emocional do bebê

Os recém-nascidos passam por volta de nove horas dormindo durante o dia e cerca de oito horas durante a noite, com diferentes intervalos para se alimentarem. Se estiver atenta, quando o bebê despertar, poderá contribuir para reforçar o vínculo afetivo com seu filho e ajudá-lo a construir um correto desenvolvimento emocional. Durante a vigília, os bebês passam por etapas de atividade e expressão emocional:

1. Alerta tranquilo. Momento do despertar. Ele vai ficar quieto, observando tudo ao seu redor. Sua respiração será regular e vai parecer estar tranquilo e satisfeito. Aproveite esse momento para dar-lhe “bom dia” com alegria. Encha esses momentos de sensações prazerosas e ele responderá aos seus movimentos e sons te olhando nos olhos.

2. Alerta ativo. Ele se interessará pelos objetos visuais e pelos estímulos auditivos e tentará responder aos sons. Pode até ser que ele tente te imitar e brincar contigo. Mexerá os braços e as pernas, e girará o pescoço para ver o que ocorre ao seu redor. Você pode surpreendê-lo com brinquedos de cores vistosas. Anime-o com seu brinquedo ou bichinho favorito ou explore movimentos novos com ele.

3. Choro. Nessa terceira fase, ele se mostrará cansado. Satisfaça suas necessidades de higiene e alimentação e acalme-o segurando nos braços para que se sinta seguro.

4. Sono. Ele esfregará os olhos, bocejará e talvez fique um pouquinho nervoso. É preferível que tente conciliar o sono por si mesmo durante essa etapa sonolenta. Se passar algum tempo e ele não consegue dormir, nine-o até que adormeça.

  • O que devem fazer os pais de filhos superdotados

    No caso dos pais percebam que seu filho tenha esse perfil, deverão tomar algumas providências. Segundo Linda Kreger Silverman, especialista do US Department of Education (Departamento de Educação dos Estados Unidos), os pais têm um papel fundamental no desenvolvimento dessas crianças. São eles os que devem entrar em contato com o educador da criança, a escola, e pedir uma orientação. Seguramente, depois de uma avaliação do caso, os docentes passarão a criança à observação de um orientador, e se for o caso, a um especialista. Se realmente se confirmar que a criança é superdotada, não a preocupe, porque receberão toda a orientação possível.

    • Inteligência emocional das crianças
      Inteligência emocional das crianças

      A Inteligência emocional na infancia. É a capacidade para pensar, para raciocinar sobre as emoções. E isso implica antes de tudo, identificar as próprias emoções, assim como a dos outros. Temos que saber educar emocionalmente as crianças.

0 comentários