Como educar filhos mais felizes

O que fazer para conseguir que as crianças sejam felizes

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Cada vez que vou a alguma reunião da escola da minha filha, claro que me interessa como minha pequena vai nos estudos, seu nível de rendimento, de aprendizado, essas coisas que tanto preocupam aos seus pais.

No entanto, para mim, o que mais me interessa saber é se minha filha se sente feliz na sala de aula, com seus companheiros, e com o que aprende. Sempre acreditei que uma criança feliz é capaz de desenvolver qualquer tarefa que lhe seja apresentada.

8 dicas para criar nossos filhos mais felizes 

 

Ser feliz, assim como ter medo, compartilhar, ser agressivo, também se aprende e se herda desde cedo. As crianças aprendem a ser felizes quando seu meio é feliz. Quando, ainda bebê, sente que seus pais se importam com ela, que existe comunicação entre eles e que seus pais atendem seus balbucios e às suas necessidades e direitos mais básicos como o cuidado, a alimentação, educação, etc. elas se sentem mais felizes.

Penso que a felicidade vai muito mais além do ter, possuir. Eu diria que reside no desejo e fantasia que uma criança emprega para conseguir o que quer. Se a criança que está a ponto de soltar os dedos dos seus pais para dar livremente seus primeiros passos e confia que pode contar com o cuidado deles, ela se sentirá mais feliz e conseguirá o que se propõe. O mesmo acontece com a alimentação, o sono, etc. 

Na hora de educar nossos filhos, são muitos os aspectos que consideramos e muitas vezes deixamos de lado os sentimentos e só nos concentramos nas boas e más condutas. Penso que existem algumas chaves que os pais devem considerar na hora de educar crianças felizes: 

1 – Estabelecer um canal de comunicação com eles através de atividades como jogos, brincadeiras, danças, a música, a cozinha, ou simplesmente assistindo um filme ou compartilhando um conto infantil, um trabalho manual, uma adivinhação, etc. 

2 – Ensinando as crianças a aceitarem suas frustrações de uma forma construtiva e positiva. Também que eles aprendam a perder. Através dos limites se pode ensinar a uma criança sobre o que é mais ou menos importante, e o que esperamos dela.  

3 – Deixar que a criança expresse suas emoções e chateações. Não reprima. A criança pode apresentar insegurança e medo e se mostrar realmente como é. Você deve ensiná-la a respeitar suas emoções e buscar soluções. 

4 – Valorize seu filho pelas suas virtudes morais. Ensine-o a compartilhar, a ser amigo, a ser responsável com suas coisas, a ter disciplina com suas tarefas, etc. Esses valores são os que ficarão para a sua vida adulta. 

5 – Não compare seu filho com os outros, sejam amigos ou irmãos. Aceite a seu filho tal como ele é, com seus defeitos e virtudes. Ninguém é perfeito. 

6 – As palavras têm poder sobre as crianças. Se você diz continuamente ao seu filho que ele é mau, que sempre faz coisas más, o que você vai conseguir é baixar a autoestima dele, e não animá-lo a que se esforce para melhorar. As palavras negativas têm um efeito terrível e contrário nas crianças e em qualquer pessoa. 

7 – Ensine seu filho a se colocar no lugar do outro. Que busque fazer aos outros, o que gostaria que fizessem com ele. 

8 – Ensine seu filho a reconhecer e a agradecer por tudo o que ele tem, de coração. É importante que ele saiba que é uma criança privilegiada, que tem pais que o amam, uma casa onde morar, comida, escola, amigos, saúde... Tem tanta coisa a agradecer! 

E você, acredita que faz seu filho feliz? 

Vilma Medina
Diretora de Guiainfantil.com