Seu bebê tem gases e cólicas?

Vilma Medina

Vilma Medina

Minha filha começou a sentir cólicas no segundo mês de nascida. Começava a chorar desconsoladamente e sempre na mesma hora, ao entardecer, ainda que estivesse limpinha e bem alimentada. No início, não sabia o que fazer. Eu a levei ao médico e descobri que ela tinha gases, um incômodo que mais da metade dos bebês recém-nascidos sofre. 

As bolhas de gás podem provocar incômodos e dores, e, além disso, aumentar a irritabilidade e o choro dos bebês. Para buscar alívio das dores que sentem devido aos gases, os bebês levantam, esperneiam e encolhem suas perninhas, e choram angustiados. Além desses sintomas, também é comum que no bebê que apresenta gases, tenha dificuldade de arrotar, tenha a barriguinha inchada ou cheia, ou descanse no berço ou nos braços da sua mamãe numa posição inadequada. 

O que fazer para que o bebê não tenha gases? 

O que fazer para que o bebê não tenha gases? Eu já ouvi milhares de fórmulas para combater as cólicas dos bebês: gotinhas, massagens orientadas às cólicas, chupetas ou mamadeiras especiais, etc. Nem tudo funciona para todos os bebês. Algumas vezes sim e outras não. No entanto, mais do que aliviar as cólicas do bebê, o melhor é preveni-las. Para que isso seja possível, seguem algumas dicas: 

- Faça o bebê arrotar durante a alimentação, ou antes de trocar o peito, se você estiver amamentando

- Faça o seu bebê arrotar contra o seu ombro, de bruços no seu colo, sentado também no colo, sustentando o peito e a cabeça à medida que dá alguns tapinhas suaves nas costas dele. Você pode ajudá-lo a arrotar inclusive andando. 

- Não brinque com o seu bebê nem durante nem depois de alimentá-lo. Convém fazer que o momento da comida de um bebê seja o mais tranqüilo e relaxado possível. 

- Não coloque o seu bebê para deitar logo após alimentá-lo. Melhor mantê-lo verticalmente apoiado no seu ombro ou sentadinho no seu colo. 

- Assegure-se que o bico seja do tamanho adequado para o seu bebê, se ele utiliza a mamadeira. Quando o bico da mamadeira é grande demais, pode fazer com que o bebê coma muito e rápido. E, além disso, pode tragar ar. 

- Se o seu bebê é propenso aos gases, comente com o pediatra e peça a ele algum medicamento para aliviar os sintomas dos gases. É importante observar se além dos gases, o bebê tem febre. Nesse caso, deve levá-lo imediatamente ao médico. 

- As massagens são recursos muito bons para evitar ou aliviar as cólicas do bebê. Após o banho é um momento excelente. 

Vilma Medina

Diretora de Guiainfantil 

Benefícios da massagem para os bebês

Benefícios da massagem para os bebês

A massagem transforma o bebê em um bebê saudável em todos os aspectos. Todos os bebês podem ser massageados. Assim que aproveite para massagear seu filhinho. A massagem pode desenvolver mais rapidamente a coordenação motora, aumentar suas reações musculares, além do que tornará o bebê mais receptivo e mais apto a reagir ao espaço que o rodeia.

Cólicas nos bebês

Cólicas nos bebês

Bebês com cólicas. As cólicas nos bebês são um tipo de dor abdominal inofensiva, que, em geral, começa aproximadamente nas 2-4 semanas de vida do bebê e que desaparecem até os 3 meses de idade.

Cólicas no bebê lactente

Cólicas no bebê lactente

As cólicas se manifestam entre o primeiro e o terceiro mês de vida do bebê. A cólica do lactante é um espasmo, ou uma contração dolorosa do intestino. Trata-se de um fenômeno, de um período delicado, que causa dores na maioria dos bebês. Não se trata de uma doença grave.

O controle das cólicas

O controle das cólicas

Os pais não têm culpa pelas cólicas do bebê. Ainda que os choros do bebê deixem nervosos a qualquer um, o primeiro é buscar a tranquilidade e um ambiente silencioso. Um bebê com cólica tende a estar sensível à estimulação de qualquer tipo. Se as pessoas ao seu redor estão preocupadas, ansiosas, a ponto de explodir, os bebês podem chorar ainda mais.

Refluxo gastro-esofágico nos bebês

Refluxo gastro-esofágico nos bebês

O sintoma mais comum do refluxo gastro-esofágico são os frequentes vômitos. Não existe nada mais incômodo quando, depois de comer, o alimento sólido ou líquido é devolvido do estômago ao esôfago, provocando vômitos e náuseas.

0 comentarios