Quando passar o bebê do berço para a cama

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Existe alguma etapa mais adequada para trocar o berço pela cama? Passar do berço para a cama é algo que, às vezes, se improvisa. Cada família o faz quando lhe parece ou quando se sente obrigada a isso. Existem pequenos que são retirados do seu berço e passam para a cama a partir de um ano e meio e outros que permanecem nela até que quase não poderem se mexer.

Bebê: passo a passo do berço para a cama

quando-passar-o-bebê-do-berço-para-a-cama A 

A possível chegada de um irmãozinho acelera que o mais velho (por pequeno que seja) tenha que ir se acostumando a uma cama para gigantes. Eu lembro que comigo aconteceu exatamente isso. Eu não queria comprar outro berço. Assim, que o meu filho mais velho passou para a cama com um ano e meio e o pobre acabava sempre dormindo como um novelo de lã com seu corpinho agarrado ao travesseiro. O pobre ficava pedido com aquele colchão enorme! Uma conhecida minha, pelo contrário, mantém o seu filho pequeno de 4 anos em um berço porque não dispõe de espaço no quarto para uma cama maior. 

Independente dessas motivações que aceleram ou atrasam a decisão existe um momento adequado para mudar o nosso filho, que vai depender do seu desenvolvimento e já requer maior independência. Acredito que a partir dos dois anos é um bom momento, já que a criança nessa etapa adquire uma maior mobilidade e não duvida em pular as barras para se livrar de possíveis obstáculos. Por outro lado, a partir dessa idade é quando a criança começa a controlar esfíncteres, por isso necessitará poder sair comodamente da sua cama para começar a ir ao banheiro sozinho e também a partir dos dois ou três anos é quando podem surgir neles a inquietação para dormir numa cama como seus irmãos mais velhos. 

O berço para muitas crianças implica num lugar associado ao conforto e segurança. O berço é a guarida onde está quentinho, apertadinho como na barriga da mamãe. Para esses pequenos que podem custar mais em dar esse passo, convém que lhes expliquemos as causas das mudanças e lhes estimulemos tornando-os participantes na escolha da nova caminha, a desmontar o berço ou em transportar para a sua nova caminha o seu ursinho de pelúcia, do seu boneco favorito ou até mesmo sua coberta mais querida. A nova cama deve ser acolhedora para a criança e cumprir alguns requisitos de segurança como uma grade lateral, desenho simples e seguro, colchão e altura adequados para a sua idade e que não apresente bordas ou arestas cortantes que possam machucá-la. 

Patro Gabaldón

Redatora de GuiaInfantil.com