Seis coisas que o bebê não te deixa fazer

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Com certeza que, depois de ter lido o título desta matéria, você pode estar perguntando? Somente seis coisas? Eu também perguntei a mim mesma, já que quando se tem um bebê a vida muda... E muito! O seu tempo se torna escasso, curto e fugaz e você acaba fazendo coisas que jamais teria imaginado fazer. 

Quanto mais os filhos crescem, mais tempo e atenção demandam da gente. Quando são recém-nascidos não exigem tanto, já que praticamente não fazem nada mais do que comer e dormir. No entanto, a partir dos três ou quatro meses, quando já começam a se movimentar mais, você deixará de fazer um monte de coisinhas para ficar com eles. 

As seis coisas que o bebê não te deixa fazer

seis-coisas-que-o-bebê-não-te-deixa-fazer A

Basta de mitos! Existem somente seis coisas que o bebê não te deixa fazer! Na realidade, são coisas das quais ninguém te avisa na hora que deseja ter um bebê, ou durante a gravidez ou na hora do parto. Você vai se dando conta somente no dia a dia convivendo com o seu bebê. Ser mãe tem o seu encanto e muitos compromissos. Ninguém deve se enganar. Você passa a ser a cadeira dos seus filhos, como também seu ‘cabide’, e já não terá tempo para falar com os amigos nem familiares pelo telefone, ler, descansar.

O bebê requer a mãe a todo o tempo e as seis coisas que ele não te deixa fazer são:

1. Sentar

2. Falar ao telefone

3. Ler

4. Ir ao banheiro

5. Comer

6. Dormir

Todas as suas concentrações estarão depositadas no seu bebê. Muitas vezes eu só comia o que sobrava das papinhas da minha filha porque não tinha tempo para preparar uma comida da forma correta. E o sono? Bem, bem, bem... Em nossa casa, se alguém escutava os choros da pequena e se levantava para atendê-la, esse alguém era eu, como ocorre com a maioria das mães.

No entanto, aconteça o que tiver que acontecer, você não se cansa e raras vezes se queixa. É que nem dá tempo de olhar para o relógio. Assim são as mamães, autênticas ‘Elastic girls’. Mas, no final das contas ser mãe recompensa, e muito. Ainda que não recebamos nenhum salário ou aposentadoria, a gente tem aquela pessoinha que nos tornam as mulheres mais felizes do mundo: os nossos filhos. Disso, não tenho dúvidas. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com