Atenção também com a varicela

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Com a chegada do inverno parece que a doença que mais traz riscos aos nossos filhos é a gripe. Muitas vezes a gente se deixa levar somente pelo que diz o noticiário e os jornais e nos esquecemos das outras doenças que também podem afetar aos nossos pequenos. Eu me refiro, por exemplo, à varicela, mais conhecida como catapora

Como a varicela afeta as crianças

atenção-também-com-a-varicela A

Eu me lembro muito bem que quando minha filha começou a frequentar uma creche, aos 18 meses, a primeira coisa que ela pegou foi uma varicela, uma doença muito comum entre as crianças menores de dez anos. O seu contágio é muito rápido e pode ser mais efetivo na etapa de incubação.

A primeira coisa que saiu foi um pequeno caroço atrás da orelha da minha filha. O seu médico disse que poderia ser um princípio de varicela, por isso deveríamos vigiar se sairia outros caroços por outras partes do corpo. Após o segundo dia, começou a sair caroços nas demais áreas do corpo. Erupções nas pernas, nádegas, barriga, pescoço e inclusive no seu lindo rostinho. Impressiona no início, mas após uma semana, tudo volta à normalidade. 

A varicela é uma doença benigna e não representa uma ameaça para a vida das crianças. No entanto, os sintomas que o vírus da varicela provoca (varicela-zoster), são bastante incômodos, e porque não dizer, espantosos! As erupções causam coceiras e comichões aos pequenos e normalmente chegam acompanhadas de febre.

6 conselhos para aliviar os sintomas da varicela

Para aliviar os sintomas da varicela o melhor é: 

1. Baixar a febre das crianças com compressas de água fria na testa, ou com banhos em água morna. 

2. Diminuir as coceiras com banhos com bicarbonato de sódio ou com a adição de farinha de aveia, 2 vezes ao dia. Se não surtir resultado, solicitar ao médico alguma pomada especial para evitar que a criança se coce e produza mais danos. 

3. Depois do banho, secar bem o corpo da criança com uma toalha de algodão, com movimentos circulares e muito suaves para evitar que as erupções inflamem. 

4. Evitar usar cremes ou loções ‘milagrosas’. 

5. Evitar dar de comer à criança alimentos ácidos. As erupções também podem aparecer na boca e prejudicá-la. Nestes casos, o melhor é que comam alimentos frios.

6. Quando as erupções começam a secar, a coceira aumenta e os pais devem vigiar ainda mais os pequenos para que não se machuquem tentando tirar as crostas das cicatrizes. 

As erupções podem voltar a sair provocando atrasos na cura. Além disso, podem deixar manchas. Não existe melhor forma de evitar a catapora do que a vacinação. A vacina já faz parte do calendário do SUS para as crianças. É conveniente aplicá-la na criança antes que a doença se instale no seu organismo.

Vilma Medina

Editora de GuiaInfantil.com