A volta às aulas sem dramas nem preguiças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando falta muito pouco para as aulas voltarem, muitos pais levam as mãos à cabeça preocupados em como o seu pequeno vai reagir quando tiver que voltar à escola, ao ter que despertar mais cedo, voltar às obrigações ou a ter que deixar de estar brincando o dia todo. Nem todas as crianças levam isso numa boa. Acredito que poucas. 

Já chegou o momento de voltar à rotina, a um cotidiano mais organizado e cheio de horários, e isso, ainda que pareça simples, não é tão fácil de assimilá-lo, principalmente para as crianças. Por esta razão, semanas antes que o seu filho volte à escola, é necessário que você tome algumas providências para que a transição das férias às aulas não seja uma dor de cabeça. 

Bons hábitos para a volta às aulas

a-volta-as-aulas-sem-dramas-nem-preguiças A

1 – As crianças devem começar a ir para a cama e a despertar mais cedo. Os pais devem estabelecer novos horários para o sono, para os momentos de alimentação. Isso evitará que a criança durma demais ou fique irritada, cansada e inclusive mal humorada no primeiro dia de aula.

2 – É importante que as crianças façam um repasso das atividades acadêmicas ou revisem as tarefas que a professora tenha deixado. Isso evitará que a criança se sinta tão insegura e medrosa nos primeiros dias da escola. 

3 – É recomendável que as crianças já tenham organizados e forrados os novos livros, o material escolar, o uniforme (se for o caso), a mochila, estojo, calçados, etc., antes do início das aulas. Isso evitará que se sintam ansiosas e preocupadas. 

4 – Promover uma reunião com os amiguinhos da criança. Isso a ajudará a ‘quebrar o gelo’. Ela se sentirá mais segura e acolhida. 

5 – É também importante que os pais tenham uma atitude positiva, paciente e firme quanto à volta às aulas com os seus filhos. Devem sempre ressaltar o lado positivo da escola. Isso evitará que a criança fique nervosa e medrosa.

6 – É aconselhável que os pais construam um canal de comunicação muito aberto com os filhos. Ao pegá-los na escola, procurem saber como foi o seu dia na sala de aula e no recreio. A criança se sentirá mais positiva e apoiada. 

7 – É o momento de estabelecer novos horários: hora de ir para a cama, de despertar, de assistir televisão, de brincar, de comer, etc., para que pouco a pouco a criança vá se organizando. 

8 – É conveniente que as crianças cruzem a ponte das férias com a vida acadêmica de uma forma serena, sem excessos nem afobações. As atividades extraescolares podem esperar algumas semaninhas. 

No mais, os pais devem evitar dar muitas voltas ao tema. Os pais devem entender que é uma fase de transição como muitas outras. Os pais só devem se preocupar se a criança, após uma semana, continua não querendo ir à escola, e, além disso, começa a sentir dor de cabeça, dor de barriga... Isso poderá ser sintoma da síndrome pós-férias, de alguma doença ou enfermidade por outro motivo. Neste caso, os pais devem conversar com o filho e tentar ajudá-lo.

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com