Papai, mamãe, como as crianças são feitas?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Qual é a nossa reação diante dessa pergunta? A gente se engasga com o que tivermos na boca, a gente fica vermelho, começamos a rir, fazemos com que nossos filhos fiquem envergonhados ou incapazes de entender a resposta? Qual a nossa reação?

A sexualidade é uma parte importante da nossa natureza e da nossa vida, e a educação dos nossos filhos deve incluir este aspecto de forma tão normal e cuidada como qualquer outra importância. Temos que estar preparados diante de perguntas como: ‘de onde os filhos saem?’; ‘o que é fazer amor?’; ou outras semelhantes. 

Como explicar o nascimento às crianças

papai-mamãe-como-as-crianças-são -feitas A 

Mais cedo ou mais tarde todos os pais terão que dar resposta a questões como essa, e será melhor que sejamos nós mesmos a dar explicações oportunas, e não outras crianças da sua mesma idade e situação, que possam obscurecer ainda mais o seu entendimento; ou pior ainda, crianças mais velhas ou adultos que podem escandalizar os nossos pequenos

De onde vêm as crianças? É uma pergunta como qualquer outra e, ainda que nos pegue de surpresa. Na frente da criança não tem por que ficar constrangido, nem ficar vermelho, nem evadir-se dizendo que é ‘coisa de adultos’ e que quando for mais velha a gente explicará a ela. Com a mesma naturalidade que eles perguntam, a gente tem que satisfazer sua curiosidade. Pensar no que vamos dizer nos permitirá enfrentar o momento com naturalidade. Tão importante quanto preservar sua inocência é não subestimar sua capacidade de compreensão, por isso devemos adaptar nosso discurso de acordo com a idade e o grau de maturidade do nosso filho ou filha. 

Esse tipo de pergunta pode ser incômodo, seja porque pensamos que nossos filhos não estejam preparados para entender as implicações do tema, ou porque inclusive nós, os pais, nos sentimos incômodos na hora de falar sobre genitais ou relações sexuais. Santo Agostinho disse: ‘a gente não tem que se envergonhar do que Deus não se envergonhou em criar’. Mesmo assim, a pergunta deve ser tratada com delicadeza; podemos dizer as coisas com clareza, mas sem entrar em muitos detalhes, por exemplo, dizer-lhe que uma mulher ‘estão juntos’ ou ‘se complementam’, mas sem explicar passo a passo no que consiste o coito. 

Se alguma vez fica difícil encontrar as palavras adequadas ou responder de maneira breve e simples, sempre podemos buscar ajuda nos livros com ilustrações para crianças. Uma imagem vale mais do que mil palavras. Em todo o caso não devemos renunciar que sejamos nós mesmos a resolver as dúvidas sexuais do nosso filho ou filha. 

Patro Gabaldon

Redatora de Guiainfantil.com