Pai só tem um

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Você já imaginou aceitar uma tremenda oferta de emprego em outro país, situado a 6 ou 7 horas de avião pelo menos, enquanto o seu companheiro fica ‘encantado’ em casa com o filhos porque decide aceitar outra oferta de trabalho que não pode rejeitar? O que para muitas mulheres e homens no nosso país é um sonho, ou melhor dizendo, uma utopia conciliar esse tipo de vida laboral e familiar, um casal sueco está experimentando neste momento. 

Mais uma vez a Suécia nos deu uma lição de como conciliar vida familiar e laboral. Este tem sido o caso do político Erik Ullenhag, um pai de 38 anos que concilia o cuidado dos seus filhos de seis e dois anos com seu trabalho de ministro, enquanto sua esposa se mudou para Jerusalém para desenvolver sua carreira profissional.  

Os pais que conseguem conciliar trabalho e família

pai-só-tem-um A

Quando ele fala da sua situação, para mim fica difícil não ‘babar’ porque é difícil encontrar um homem tão solidário como a gente, mulheres que suportam com podem o ‘pesadelo’ que é conciliar trabalho e família. Ele reconhece que para ele é mais fácil cuidar dos seus filhos do que para outras pessoas, porque ainda que trabalhe muito ele pode organizar sua rotina para passar mais tempo com eles, e graças ao seu horário flexível pode deixar as crianças pela manhã na escola e pegá-las pela tarde, e quando tem que viajar seus sogros e seus pais dão uma mãozinha. 

Até aqui, suas palavras não me surpreendem, inclusive me são familiares, porque conheço alguns casos parecidos, de mulheres que trabalham muito, mas têm pessoas e familiares que as ajudam com as crianças ou em casa quando necessitam. Mas, o melhor é quando diz que, ‘honestamente é muito trabalho, que durante um par de anos tudo bem, mas que não pode estar assim por 15 anos. Ainda bem que as crianças crescem, senão o que seria da gente!’ 

E tem mais: outras das pérolas que ele soltou é que tudo é mais fácil quando você é homem. Quando as pessoas o vêem como uma boa pessoa, elas ajudam mais. Reconhece que quando ele se esquece de alguma roupa extra no inverno para os seus filhos na escola logo ajudam a solucioná-lo rapidamente de forma positiva, enquanto que as mulheres logo são lembradas do descuido.

E quanto à gente? Supõe-se que temos que ser boas mães e surpreende quando falhamos, passamos por maus bocados ou nos distraímos e não conseguirmos dar conta de tudo. Se isso acontece na Suécia ainda, que é atualmente um modelo de conciliação laboral e familiar, em que degrau da escada a gente se encontra? Menos mal que cada vez mais a igualdade entre homens e mulheres implica num grande avanço para a sociedade em geral. Eu fico encantada em descobrir que no mundo existem pais que se esforçam em demonstrar que ‘pai só tem um’. 

Marisol Nuevo

Redatora de Guiainfantil.com