Ser mulher trabalhadora e mamãe... E não ter que escolher

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Um dia desses eu ouvi um desabafo de uma amiga que dizia: ‘A vida não está fácil... Mas, claro, eu quero viver mil vidas: mulher, mãe, esposa, filha, dona de cachorro, amiga, desportista, motorista, psicóloga, enfermeira, professora, cozinheira, secretária... Assim, como vou conseguir levar a vida? E eu pensei: ‘Como eu a entendo!’. 

Como nós, mulheres, a entendemos que, na tentativa de conseguir ser uma boa profissional e ainda lutar para preservar seu posto de trabalho e ainda tenha que cumprir todas as suas tarefas domésticas, de mãe e de mulher e ainda se sobressair nisso tudo! Estou segura que suas palavras não soam estranhas a nenhuma mulher. Todas nós nos sentimos sobrecarregadas e sofrendo em algum momento, não é verdade? 

8 de Março. Dia Internacional da Mulher Trabalhadora

ser-mulher-trabalhadora-e-mamãe-e-não-escolher A 

Felizmente, cada vez mais mulheres ingressam no mercado de trabalho, seja para realizar tarefas em que se formaram, para buscar uma remuneração a mais para a família, ou simplesmente para se sentirem úteis. Infelizmente, a sociedade não ampara nem apóia sua decisão. Em muitos países, as mulheres continuam tendo só 4 meses de licença maternidade, ganham menos que os homens nas empresas e, ainda por cima são ‘obrigadas’ a trabalhar muito mais para preservar seu posto de trabalho. Estudos comprovam que muitas empresas exigem muito mais das mulheres que dos homens. 

As desigualdades entre os sexos, tanto no âmbito laboral como no lar continuam sendo um obstáculo para que uma mulher mantenha o seu trabalho. Ainda são maioria as mulheres que, para conciliar suas tarefas laborais com as do lar, optam por uma jornada em tempo parcial. E, ainda são maioria as mulheres que, ainda que trabalhe em jornada completa tenha que se encarregar completamente do cuidado dos filhos, das tarefas domésticas tendo ou não companheiro. E ainda assim, a culpa em não permanecer com os filhos e se sentir os estão abandonando as consomem. Por um lado, a mulher deseja se realizar no seu trabalho e por outro sentir que seus filhos estão bem. Ao final, muitas acabam tendo que escolher entre a maternidade e o trabalho

Como diretora de uma empresa, eu posso dizer que é uma pena que as empresas estejam perdendo tanto talento feminino. Além de todos os trabalhos que possa desenvolver, a mulher contribui com valores importantes ao ambiente de trabalho como a responsabilidade, a criatividade, fidelidade, lealdade, maturidade... Ela só necessita se sentir apoiada e compreendida tanto em casa como no trabalho. Deste modo lhe será mais fácil e mais coerente que ela possa celebrar o 8 de Março, o Dia da Mulher Trabalhadora, não é verdade? 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com